Marketing

Americanas vira 'Brasileiras' e destaca lojas de empreendedoras no site

Estrelada por Camilla de Lucas, campanha #ElasConquistamTudo destaca empreendedorismo feminino

 (Iude/Instagram/Reprodução)

(Iude/Instagram/Reprodução)

Victor Sena

Victor Sena

Publicado em 8 de março de 2022 às 16h35.

Última atualização em 8 de março de 2022 às 16h36.

Em celebração ao Dia Internacional da Mulher, a Americanas lança a campanha “Brasileiras: #ElasConquistamTudo”. Focada no digital e nas redes sociais da marca, a ação conta de empreendedorismo feminino no site e redes sociais da Americanas, que passa a se apresentar como “Brasileiras”.

A empresa faz questão de destacar que a campanha é feita por "mulheres e para mulheres".

Feita por mulheres para mulheres, a campanha é estrelada pela embaixadora Camilla de Lucas e traz a participação de empreendedoras lojistas do marketplace.

As protagonistas da história contada pela Americanas são as irmãs Misleide e Misléia representando a HMA Comércio, Maria Nilde pela ONG Costurando Sonhos e Ana Eliza pela ONG Orientavida.

No Twitter, o nome da marca Americanas aparece como “Brasileiras”, em uma homenagem a todas as mulheres, parceiras e trabalhadoras do país que transformam diariamente suas histórias.

Segundo a empresa, a ideia é dar voz e visibilidade a mulheres empreendedoras, a campanha institucional reforça o comprometimento da Americanas com as noções de igualdade de gênero.

Hoje, 50% dos funcionários da Americanas SA são mulheres e são 55% das funções de gerências são ocupadas por mulheres.

"É muito bom a gente veicular uma campanha em que a gente tem propriedade para falar", afirma Aline Oliveira, head de marketing da Americanas S.A.

Toda quarta-feira do mês de março, as redes sociais contarão a história de uma empreendedora.

"O retorno vem muito através de pesquisa, por branding, e dados de engajamento nas redes sociais também. Por muito tempo, nosso público sempre foi mais feminino, enquanto a marca só Americanas", explica Aline.

A campanha dará mais visibilidade a ONGs e lojistas femininas. Será lançado um ambiente especial no site e uma página exclusiva no aplicativo.

No hotsite, os clientes podem conhecer, por exemplo, um pouco mais sobre as instituições sociais Orientavida e Costurando Sonhos, que capacitam mulheres em situação de vulnerabilidade social através do artesanato.

As instituições fazem parte da Americanas Social, plataforma de marketplace social em que organizações e empreendedores sociais podem vender seus produtos, desenvolverem seus negócios, aumentarem seus recursos e melhorarem milhares de vidas. Todo o lucro das vendas da iniciativa é destinado aos lojistas parceiros.

Acompanhe tudo sobre:Americanase-commerceMulheres

Mais de Marketing

Coca-Cola é a marca mais lembrada em patrocínios de eventos no Brasil; veja ranking

Burger King e Stanley promovem ação com galão térmico a R$ 1; saiba como retirar

Camila Coutinho estreia no Cannes Lions como palestrante nesta quinta, 20

Em Cannes, Musk explica por que xingou anunciantes e tenta aproximação com o mercado publicitário

Mais na Exame