Invest

TRX: gestora de FII vê setor de varejo como mais promissor para renda

Em conversa com Arthur Vieira de Moraes, especialista em fundos imobiliários da EXAME, gestores do fundo TRXF11 falam das perspectivas para o crescimento dos imóveis locados para supermercados e atacadistas

Setor de varejo alimentício cresceu durante a pandemia e demonstrou resiliência frente à crise (Assaí/Divulgação)

Setor de varejo alimentício cresceu durante a pandemia e demonstrou resiliência frente à crise (Assaí/Divulgação)

BA

Bianca Alvarenga

Publicado em 20 de junho de 2021 às 13h32.

A pandemia do coronavírus afetou os fundos imobiliários de forma desigual: enquanto alguns setores sentiram mais a perda de faturamento dos inquilinos, outros tiveram um crescimento acelerado. É o caso, por exemplo, dos fundos que têm supermercados e atacadistas entre seus ativos.

Construa renda com fundos imobiliários. Aprenda com o professsor Arthur Vieira de Moraes

A gestora TRX, dona do fundo TRXF11, tem foco na administração de lojas do Grupo Pão de Açúcar e do Assaí. Com cerca de 15 mil cotistas e quase 600 milhões de reais sob gestão, o fundo traz a expertise dos gestores em imóveis chamados build to suit (quando a construção é feita sob medida para um inquilino) e em salelease back (quando o gestor compra um fundo e firma um contrato de longo prazo com o inquilino).

Embora o modelo tenha riscos ligados à relação "exclusiva" com o inquilino, Luiz Amaral, sócio e fundador da TRX, explica que existem maneiras de mitigar essa dependência.

"Não podemos ter imóveis específicos a ponto de servir somente para aquele inquilino", disse, em conversa com Arthur Vieira de Moraes, especialista em fundos imobiliários, no programa FIIs em EXAME.

Ele explica que a estratégia do TRXF11 de focar em lojas de supermercado tem diversas razões. A primeira é a própria resiliência do varejo de alimentos, provada, inclusive, durante a pandemia do coronavírus. A segunda razão é a possibilidade de adaptar esses imóveis para outros propósitos no futuro.

"As lojas de supermercado são, no final das contas, pequenos galpões extremamente bem localizados. No futuro, esses espaços podem mudar de vocação e serem usados como pontos de logística avançada. Para o e-commerce, pontos assim são extremamente importantes para melhorar o tempo de entrega", explica Amaral.

Veja abaixo o programa completo:

yt thumbnail
Acompanhe tudo sobre:AssaiAtacadoFundos-imobiliariosGestores de fundosPão de AçúcarSupermercados

Mais de Invest

Onde investir? Veja quem ganha e (quem perde) com a desvalorização do real

Febraban propõe melhorias em ferramenta do Pix para devolução de dinheiro; veja o que pode mudar

Mercado contraria o Fed em aposta por corte de juros nos EUA?

Como consultar o saldo do FGTS? Veja passo a passo

Mais na Exame