Invest

Gavekal Research: dividendos do S&P 500 valem 1 grama de ouro

Analistas apontam que o preço do metal tende a aumentar ante os dividendos quando o dólar apresenta uma fraca reserva de valor

Dividendos que valem ouro: proventos da S&P 500 podem valer 1 grama do metal (KTSDESIGN/SCIENCE PHOTO LIBRARY/Getty Images)

Dividendos que valem ouro: proventos da S&P 500 podem valer 1 grama do metal (KTSDESIGN/SCIENCE PHOTO LIBRARY/Getty Images)

Janize Colaço
Janize Colaço

Repórter de Invest

Publicado em 8 de setembro de 2023 às 07h01.

Há pouco mais de um século, os dividendos anuais pagos pelo índice S&P 500 tinham o preço de exatamente uma grama de ouro (US$ 0,66 por ação). De lá para cá, os valores dos proventos variaram, mas permanecem próximos à cotação do metal precioso.

“No primeiro trimestre de 2023, o S&P 500 pagou dividendos por ação de US$ 68,21, enquanto o preço de 1g de ouro foi de US$ 63,33. Em outras palavras, os dividendos por ação pagos pelo S&P500 teriam comprado precisamente 1,08g de ouro”, aponta o relatório recente da Gavekal Research, casa de análise global especialista em cenário macroeconômico.

Tenha acesso aos relatórios semanais sobre macroeconomia de uma das maiores casas de análise do mundo

Apesar disso, os analistas destacam que, durante esse período, não necessariamente os dividendos pagos pelo índice aumentaram no mesmo compasso que o ouro. Conforme demonstra o gráfico abaixo, o preço do metal tende a aumentar ante os dividendos, quando o dólar apresenta uma fraca reserva de valor.

(Gavekal/Exame)

Flutuação do ouro e o poder de compra do rentista

Ainda de acordo com o relatório, quando a proporção entre dividendos e ouro é superior a um, é recomendado que o investidor espere antes de migrar para as ações. Já se o metal supera os títulos de longa data do Tesouro dos EUA, também é preciso cautela, já que o dólar pode não ser uma fonte confiável de reserva.

“A relação hoje está em 1,08, o que é um pouco alto. O nosso rentista não deveria apressar-se em mudar do ouro para ações, especialmente porque o ouro está registrando um desempenho superior ao dos títulos do Tesouro”, explicam os analistas da Gavekal. 

Apesar da atenção em relação aos dois cenários acima, a situação muda se a relação entre dividendos e ouro for inferior a um. “Quando o mercado de ações está barato, [o rentista] deve arbitrar sem hesitação”, alertam.

Acompanhe tudo sobre:OuroS&P 500DividendosGavekal

Mais de Invest

Ata do Copom, Galípolo, arrecadação federal e falas do Fed: o que move o mercado

O que são herdeiros necessários? Entenda neste artigo

O que é equity e como o investimento funciona?

Conheça o novo lançamento do BTG Pactual: Crédito por Investimentos

Mais na Exame