Invest

Analista abandona previsão de queda de 11% do S&P em 2023

Estrategista-chefe do BNP Parias estava com a previsão mais pessimista do mercado para a bolsa americana

NYSE - The New York Stock Exchange - Bolsa New Yorque - Nova Iorque - Pregão - Internacional - juros - americano - EUA 

Foto: Leandro Fonseca
data: setembro 2022 (Leandro Fonseca/Exame)

NYSE - The New York Stock Exchange - Bolsa New Yorque - Nova Iorque - Pregão - Internacional - juros - americano - EUA Foto: Leandro Fonseca data: setembro 2022 (Leandro Fonseca/Exame)

Bloomberg
Bloomberg

Agência de notícias

Publicado em 8 de setembro de 2023 às 11h02.

Última atualização em 8 de setembro de 2023 às 11h02.

Um dos analistas mais pessimistas do mercado de ação de Wall Street reduziu sua previsão de queda do S&P 500 neste ano.

Greg Boutle, chefe de estratégia de ações e derivativos dos EUA no BNP Paribas, previa que o índice terminaria o ano no patamar 3.400 pontos, uma queda de 11% em relação ao final de 2022 e de 26% em relação ao pico de julho. Essa era a pior estimativa entre os estrategistas consultados pela Bloomberg.

Mas esta semana, depois de o mercado ter desafiado a previsão sombria, ele capitulou. Boutle elevou sua meta para 4.150, antecipando uma queda menor durante os últimos quatro meses do ano do que Mike Wilson (3.900), do Morgan Stanley, e Michael Kantrowitz (3.600-3.800), da Piper Sandler & Co. O S&P 500 fechou em 4.451 na quinta-feira.

Projeção revista

A projeção revista reflete a expectativa crescente de que a economia dos EUA evitará este ano uma recessão, que outrora era amplamente esperada como consequência do aumentos agressivos das taxas de juros pelo Federal Reserve. Boutle disse que espera que ações caiam à medida que o crescimento esfria e os analistas diminuem as previsões para os lucros das empresas.

“Nossa perspectiva para este ano sempre se baseou na ideia de haver uma recessão nos EUA”, disse Boutle em entrevista. “Acho que nós, juntamente com muitas pessoas em Wall Street, ficamos surpresos com a resiliência dos dados nos EUA.”

Boutle está entre os analistas que foram surpreendidos pela força da economia. Isso alimentou uma forte recuperação nos preços das ações, com a leitura de que o país evitaria uma recessão à medida que o Fed se aproxima de encerrar os aumentos dos taxas. Mesmo com a retração desde o início de agosto, o S&P 500 ainda subiu quase 16% em 2023.

O pico do S&P 500 em julho e a perspectiva mais otimista para a atividade resultaram em uma onda de estrategistas revisando suas previsões do S&P para cima.

Acompanhe tudo sobre:bolsas-de-valoresNYSE (New York Stock Exchange)S&P 500Ações

Mais de Invest

Quina de São João: veja os números mais sorteados da história

Dólar bate R$ 5,47 e Ibovespa opera em queda de olho em votação do Copom

Caixa anuncia novos pagamentos do auxílio reconstrução às famílias do RS; veja como sacar R$ 5,1 mil

Copom, posse da presidente da Petrobras e incorporação da Soma pela Arezzo: o que move o mercado

Mais na Exame