Veja como investir com a Selic em 2% ano e fazer o dinheiro render

Taxa atual perde para a inflação, o que requer adequações na carteira. Veja também simulações de rendimentos em aplicações de renda fixa mais conservadoras
Economistas ouvidos pelo boletim Focus na última semana apontavam a expectativa de que a Selic encerre 2021 em 3,25% ao ano (DircinhaSW/Getty Images)
Economistas ouvidos pelo boletim Focus na última semana apontavam a expectativa de que a Selic encerre 2021 em 3,25% ao ano (DircinhaSW/Getty Images)
Marília Almeida
Marília Almeida

Publicado em 20/01/2021 às 18:35.

Última atualização em 01/03/2021 às 16:29.

O Comitê de Política Monetária do Banco Central (Copom) decidiu, nesta quarta-feira, 20, manter a taxa básica de juro da economia, a Selic, em 2% ao ano — seu menor patamar histórico.

Faça o teste interativo da EXAME e ganhe um relatório gratuito de acordo com seu perfil de investidor(a)!

O comunicado do Banco Central divulgado junto com a decisão sinaliza que um aumento da taxa está mais próximo do que se previa: pode vir na próxima reunião em março ou na seguinte, em maio. Gestores, analistas e investidores aguardam pela divulgação da ata da reunião na próxima terça, 26, em busca de mais informações sobre o direcionamento do BC nos próximos meses.

Até a semana passada, era esperado, entre os economistas ouvidos pelo boletim Focus, que a taxa tivesse uma pequena alta ao longo dos próximos meses e encerrasse 2021 em 3,25% ao ano. É uma taxa que perde para a inflação projetada para o ano, de 3,43%, ainda de acordo com o Focus.

O que fazer com a Selic a 2%

Com a Selic em 2% ao ano, os investimentos de renda fixa mais conservadores, como poupança, CDBs com taxas pós-fixadas e títulos do Tesouro Selic, ficam abaixo da inflação projetada para o ano, de 3,43%. Ou seja, caso seu vencimento aconteça neste período, haverá uma redução do poder de compra do investidor.

Mas o retorno da poupança consegue ser pior do que o das outras alternativas, ainda que ela seja isenta de Imposto de Renda. Atualmente, a caderneta tem rendimento equivalente a apenas 70% da Selic.

Portanto, para quem quer montar a reserva de emergência, é recomendável investir diretamente no Tesouro Selic, que pagará cerca de 100% do CDI. Outra opção é investir em um fundo DI Simples, que aplica toda a carteira no Tesouro Selic e não cobra taxa de administração.

No ano passado a B3 e o Tesouro decidiram cortar de 0,25% ao ano para zero a taxa de custódia cobrada sobre os investimentos no Tesouro Selic de até 10.000 reais. Ou seja, para aplicações maiores do que esse valor colocar o dinheiro no fundo é mais barato, já que não há a cobrança desta taxa.

Uma opção também é aplicar dinheiro em CDBs com liquidez diária. Contudo, além de poder render menos do que o Tesouro Selic, é necessário ter a consciência de que seu risco é maior do que o de títulos do governo, ainda que haja cobertura do Fundo Garantidor de Crédito (o FGC) para valores de 250 mil reais.

Já para quem quer aplicar dinheiro com objetivos de médio e longo prazo a recomendação é buscar outras opções de renda fixa, caso o investidor tenha um perfil mais conservador. Entre as alternativas estão o crédito privado (por meio de fundos ou debêntures) e títulos públicos atrelados à inflação ou prefixados. Para quem tem perfil moderado ou arrojado, o foco deve ser diversificar a carteira com fundos multimercados e aplicações de renda variável.

Saiba o rendimento da renda fixa com a Selic em 2% ao ano

A seguir, veja uma simulação de quanto 5.000 reais, 10.000 reais e 15.000 reais, com o juro em 2% ao ano, rendem na poupança, em um CDB e no Tesouro Selic: são aplicações financeiras que têm rendimento atrelado à taxa DI, muito próxima da taxa básica de juros.

Descubra o seu perfil de investidor e invista melhor.

No cálculo, foi considerada a taxa média de retorno ao ano esperada entre a data atual e a data de vencimento dos títulos em diferentes prazos, divulgada diariamente pela Anbima (a associação das entidades do mercado). Os valores da simulação já descontam o Imposto de Renda cobrado em todas as aplicações, exceto na poupança, que é isenta.

Valor: R$ 5.000

Meses Poupança CDB 90% do CDI (bancos grandes) Tesouro Selic CDB 110% do CDI (bancos médios)
6 R$ 5.079,45 R$ 5.079,17 R$ 5.087,96 R$ 5.096,76
12 R$ 5.120,40 5123,84 R$ 5.137,60 R$ 5.151,36
18 R$ 5.157,85 R$ 5.167,43 R$ 5.186,04 R$ 5.204,64
24 R$ 5.184,45 5195,65 R$ 5.217,39 R$ 5.239,13

Valor: R$ 10.000

Meses Poupança CDB 90% do CDI (bancos grandes) Tesouro Selic  CDB 110% do CDI (bancos médios)
6 R$ 10.158,90 R$ 10.158,33 R$ 10.175,93 R$ 10.193,52
12 R$ 10.240,80 R$ 10.247,68 R$ 10.275,20 R$ 10.302,72
18 R$ 10.315,70 R$ 10.334,87 R$ 10.372,08 R$ 10.409,28
24 R$ 10.368,90 R$ 10.391,30 R$ 10.434,78 R$ 10.478,25

Valor: R$ 15.000

Meses Poupança CDB 90% do CDI (bancos grandes) Tesouro Selic CDB 110% do CDI (bancos médios)
6 R$ 15.238,35 R$ 15.237,50 R$ 15.263,89 R$ 15.290,28
12 R$ 15.361,20 R$ 15.371,52 R$ 15.412,80 R$ 15.454,08
18 R$ 15.473,55 R$ 15.502,30 R$ 15.558,11 R$ 15.613,92
24 R$ 15.553,35 R$ 15.586,95 R$ 15.652,16 R$ 15.717,38