Itaú lança serviço para intermediar venda de veículo financiado

Por meio de parceria, o banco atuará na intermediação da venda de veículo caso o cliente não consiga pagar o financiamento
Itaú: quem não conseguir honrar as prestações feitas poderá receber uma proposta de venda valorada (Marcelo Camargo/Agência Brasil)
Itaú: quem não conseguir honrar as prestações feitas poderá receber uma proposta de venda valorada (Marcelo Camargo/Agência Brasil)
Karla Mamona
Karla Mamona

Publicado em 17/02/2022 às 12:10.

Última atualização em 17/02/2022 às 14:13.

O Itaú Unibanco lançou um serviço focado em clientes que não conseguem pagar o financiamento de automóvel feito junto ao banco. Quem não conseguir pagar as prestações feitas poderá receber uma proposta de venda valorada.

O banco fará uma análise do contrato e atuará na intermediação da venda do veículo por meio de uma plataforma parceira, o iCarros Club. A venda visa quitar o valor do financiamento. Entretanto, se no momento da venda, o valor for superior ao valor do empréstimo, a pessoa recebe a diferença após a negociação. Veja exemplo abaixo:

O cliente comprou um carro no valor de 60 mil reais. Ele deu 10 mil reais de entrada e financiou 50 mil reais em 36 parcelas no valor de 2 mil reais. Neste caso, ele pagou 10 parcelas no valor de 2 mil reais (R$ 20 mil reais). No total, pagou um total de 30 mil reais. Mas ele não consegue mais pagar o financiamento, as 26 parcelas restantes.

Ele entra em contato com o banco, por meio da central de atendimento ou pelos escritórios de cobrança autorizado, o Itaú coleta as informações necessárias do carro e repassa para outra empresa parceira, denominada de Mais Que Cliente. Esta primeira empresa fará a vistoria do carro, que pode ser feita de forma 100% online, e realizará o anúncio e operacionalizará a venda.

O Itaú explica que o procedimento é realizado por meio do iCarros Club, plataforma exclusiva para lojistas e concessionários. Após o anúncio, o carro (do exemplo acima) é vendido pelo valor 70 mil. O cliente paga os 52 mil reais que faltavam do financiamento (as 26 parcelas restantes) ao banco e a diferença no valor de 18 mil reais fica com ele. Vale destacar que isso só ocorre se o montante do negócio for maior que o saldo devedor. Geralmente, o veículo é vendido pelo valor aproximado ao realizado no momento da compra. Em alguns casos, o valor maior pode ser reflexo do mercado de carros usados no país, que apresentou forte crescimento nos últimos dois anos. 

O serviço de venda valorada está em fase de teste pelo Itaú Unibanco desde o começo do ano passado. De acordo com o banco, são cerca de 80 operações realizadas por mês e em 80% dos casos, a venda do veículo acontece em até um dia. Com o lançamento oficial, o banco estima que sejam vendidos 300 carros por mês por meio do serviço.

“Com a venda valorada, o cliente não precisa se preocupar em anunciar o veículo ou com qualquer burocracia no momento da venda, além de contar com a segurança de ter uma instituição intermediando a negociação em um processo totalmente gratuito”, afirmou Rodnei Bernardino de Souza, diretor do Itaú Unibanco.