Acompanhe:

Empregadores têm o dia 29 para enviarem informe de rendimentos

O prazo também vale para bancos e corretoras de valores, que devem disponibilizar o documento referente aos rendimentos de aplicações financeiras aos seus clientes

Modo escuro

Continua após a publicidade
Imposto de Renda: A disponibilização dos informes de rendimentos é obrigatória e pode ser feita pelo correio ou na forma digital (Hillary Kladke/Divulgação)

Imposto de Renda: A disponibilização dos informes de rendimentos é obrigatória e pode ser feita pelo correio ou na forma digital (Hillary Kladke/Divulgação)

Os empregadores têm até o dia 29 de fevereiro para enviar aos funcionários o informe com os rendimentos referentes a 2023.

O prazo também vale para bancos e corretoras de valores, que devem disponibilizar o documento referente aos rendimentos de aplicações financeiras aos seus clientes. A disponibilização dos informes de rendimentos é obrigatória e pode ser feita pelo correio ou na forma digital, por e-mail, internet ou intranet.

Declaração do Imposto de Renda

Os informes são necessários para preencher a declaração de Imposto de Renda da Pessoa Física 2024 (IRPF). Este ano, o período de entrega das declarações do Imposto de Renda, sem multa, deve ser entre de 15 de março a 31 de maio. A Receita ainda não divulgou as regras do IR.

Entre as informações contidas nos informes de rendimentos estão o total dos rendimentos tributáveis, a exemplo dos salários; os descontos do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS); os rendimentos tributáveis exclusivamente na fonte, como o 13º salário; imposto de renda retido na fonte, se houver; eventuais rendimentos isentos, como venda das férias e descontos; e despesas com plano de saúde ou odontológico coletivo, se houver.

A declaração do IRPF é obrigatória para quem recebeu rendimentos tributáveis acima de dois salários mínimos. A nova tabela foi publicada em uma medida provisória no dia 6, e alterou a primeira faixa da tabela progressiva mensal, com elevação do limite de aplicação da alíquota zero, que passou de R$ 2.112 para R$ 2.259,20.

O contribuinte com rendimentos de até R$ 2.824 mensais será beneficiado com a isenção porque, em razão do desconto simplificado de R$ 564,80, que resulta em uma base cálculo mensal de R$ 2.259,20, o mesmo limite máximo da faixa de alíquota zero da nova tabela.

A Receita orienta o contribuinte a guardar os informes de rendimentos por, no mínimo, 5 anos, contados a partir de 1º de janeiro do ano seguinte ao do processamento da declaração. A regra também vale para os demais documentos que servem para comprovar as informações prestadas na declaração.

Créditos

Últimas Notícias

Ver mais
Receita Federal recebeu 16 milhões de declarações do IR 2024; veja como declarar
seloMinhas Finanças

Receita Federal recebeu 16 milhões de declarações do IR 2024; veja como declarar

Há 20 horas

Imposto de Renda 2024: Como declarar aluguel? Aumenta minha restituição?
seloMinhas Finanças

Imposto de Renda 2024: Como declarar aluguel? Aumenta minha restituição?

Há um dia

IPVA 2024: veja quem deve pagar em São Paulo
seloMinhas Finanças

IPVA 2024: veja quem deve pagar em São Paulo

Há 3 dias

Programa da Prefeitura de SP dá desconto em dívida do IPTU; veja como participar
seloMinhas Finanças

Programa da Prefeitura de SP dá desconto em dívida do IPTU; veja como participar

Há 3 dias

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais