Invest

Desenrola chega ao fim com queda de 8,7% na inadimplência entre a população mais vulnerável

Ministério da Fazenda aponta que mais de 15 milhões de pessoas foram contempladas pelo programa

Desenrola: programa foi concluído nesta segunda-feira (Rafael Henrique/SOPA Images/LightRocket/Getty Images)

Desenrola: programa foi concluído nesta segunda-feira (Rafael Henrique/SOPA Images/LightRocket/Getty Images)

Mateus Omena
Mateus Omena

Repórter da Home

Publicado em 21 de maio de 2024 às 17h14.

Última atualização em 21 de maio de 2024 às 18h12.

Tudo sobreDesenrola
Saiba mais

O prazo para renegociação de dívidas pelo Desenrola Brasil chegou ao fim nesta segunda-feira, 20, com uma redução de 8,7% na inadimplência entre a população mais vulnerável do país, segundo balanço divulgado pelo Ministério da Fazenda.

De acordo com dados da Serasa, entre maio de 2023 e março de 2024, o número de inadimplentes com renda de até dois salários mínimos ou inscritos no Cadastro Único (CadÚnico) do governo federal diminuiu de 25,2 milhões para 23,1 milhões.

Os números apontam para uma reversão no ritmo de endividamento entre o público-alvo do programa. O levantamento também destaca a diferença de trajetória de 15,5% entre o grupo elegível para a Faixa 1 do Desenrola e o restante dos inadimplentes no país, excluindo os beneficiários da Faixa 1, onde houve um aumento de 6,8%.

Segundo a pasta, o Desenrola conseguiu beneficiar 15,06 milhões de pessoas, com a negociação de R$ 53,07 bilhões em dívidas, o que contribuiu para a redução da inadimplência entre os mais pobres. O valor negociado corresponde a 0,5% do produto interno bruto (PIB).

Ao comentar o desempenho do Desenrola, Marcos Barbosa Pinto, secretário de Reformas Econômicas do Ministério da Fazenda, ressaltou que o programa não necessitou de uma elevada contribuição financeira do governo, o que também ajudou no alcance da meta de contemplados.

“O programa precisou de um aporte relativamente baixo do governo: R$ 1,7 bilhão dado como garantia caso as pessoas não paguem o refinanciamento dos débitos negociados. Para cada R$ 1 investido no Desenrola, foram negociados R$ 25 em dívidas atrasadas, beneficiando também mais de 600 credores com o recebimento de valores que, em muitos casos, já davam como perdidos. Tudo isso favoreceu a economia brasileira como um todo”, explicou Barbosa Pinto.

Efeito 'Desenrola'

O levantamento feito pelo Serasa define o cenário atual como "efeito Desenrola", em razão do aumento no volume de negociações durante a vigência do programa, em relação ao ano anterior.

Desde o início do Desenrola, em 17 de julho de 2023, até 1º de maio deste ano, o valor negociado no programa "Serasa Limpa Nome" cresceu 12,7%. Em julho de 2023, mês de lançamento do Desenrola, a Serasa registrou um aumento de 62% no número de renegociações realizadas em seus canais.

Acompanhe tudo sobre:DesenrolaGoverno Lula

Mais de Invest

Conheça o novo lançamento do BTG Pactual: Crédito por Investimentos

Nvidia tem forte queda e perde US$ 500 bi após ter se tornado empresa mais valiosa do mundo

Mega-Sena acumulada: quanto rendem R$ 93 milhões na poupança

Receita paga R$ 8,5 bi de restituição do IR esta semana; veja quem recebe

Mais na Exame