Mercados

Standard & Poor's rebaixa nota da dívida irlandesa

Agência de risco justificou diminuição da qualificação devido ao alto grau de endividamento dos bancos do país

A Irlanda sofre com a crise e teve que receber ajuda da UE e do FMI (Jussi Ekholm/Stock.xchng)

A Irlanda sofre com a crise e teve que receber ajuda da UE e do FMI (Jussi Ekholm/Stock.xchng)

DR

Da Redação

Publicado em 2 de fevereiro de 2011 às 10h52.

Dublin, 2 fev (EFE).- A agência Standard & Poor's (S&P) rebaixou nesta quarta-feira a qualificação da dívida irlandesa a longo prazo da categoria A/A-1 para A/A-2, após analisar a situação de risco do sistema bancário do país.

Além disso, a agência indicou que tinha rebaixado a dívida irlandesa a curto prazo de A-1 a A-2 pelos mesmos motivos.

Em consequência, a S&P também registrou o rebaixamento da Irlanda do "Grupo 6" para o "Grupo 4", o que a situa no mesmo nível que países como Turquia, Estônia e Chipre, acrescenta a nota.

"O endividamento externo dos grupos bancários nacionais da Irlanda (o que exclui o setor de serviços financeiros internacionais) supera 170% do Produto Interno Bruto (PIB). Os bancos irlandeses dependem agora quase exclusivamente do Banco Central Europeu (BCE) para refinanciar a dívida de mercado", assinalou o analista da S&P Frank Gill.

A agência voltará a analisar sua qualificação no mês de abril, quando o BCE tenha completado a revisão de liquidez e necessidades de capital de seus bancos.

O rebaixamento da dívida irlandesa, assinala a agência, é consequência também das perspectivas de recuperação da economia nacional, que qualificou de "lentas e mais incertas do que previsto".

Também não prevê que os bancos nacionais obtenham lucros significativos a curto prazo, o que está gerando desconfiança entre os investidores.

Acompanhe tudo sobre:Agências de ratingCrises em empresasEuropaIrlandaMercado financeiroPiigsRatingStandard & Poor's

Mais de Mercados

Ibovespa opera em alta de olho em relatório bimestral de despesas; dólar cai a R$ 5,554

Ações da Ryanair caem quase 15% após lucro da empresa desabar

Desistência de Biden, relatório de despesas, balanços e juros na China: o que move o mercado

Como o mercado reagiu à desistência de Biden?

Mais na Exame