Mercados

Ser Educacional respira na Bolsa com recompra de ações

O Conselho de Administração aprovou a aquisição de até 10% das ações em em circulação no mercado


	No acumulado do ano, a Ser Educacional acumula perda de 38%
 (Gustavo Gargioni/Especial/Fotos Públicas)

No acumulado do ano, a Ser Educacional acumula perda de 38% (Gustavo Gargioni/Especial/Fotos Públicas)

Karla Mamona

Karla Mamona

Publicado em 13 de janeiro de 2015 às 10h00.

São Paulo - As ações da Ser Educacional subiam forte nesta terça-feira e registravam ganhos de 3,09% na máxima do dia.

A companhia anunciou ontem à noite que o seu Conselho de Administração aprovou a aquisição de até 10% das ações em circulação no mercado.

O programa de recompra envolve até 3.752.237 ações e irá vigorar até 11 de janeiro de 2016, sendo que as operações de recompra serão realizadas a preço de mercado.

O objetivo, segundo a empresa, é “realizar a aplicação eficiente dos recursos disponíveis em caixa, visando capturar um potencial importante de geração de valor para o acionista em razão do desconto atual do valor das ações de emissão da companhia no mercado".

No acumulado do ano, a Ser Educacional acumula perda de 38% na Bovespa.

Os papéis têm sido impactados pelas mudanças no programa de financiamento estudantil do governo, o Fies.

A partir de agora, os estudantes precisarão tirar no mínimo 450 pontos no Enem para terem acesso ao benefício, e não poderão zerar a prova de redação.

As novas regras também estabelecem que, a cada ano, o Governo pagará às empresas apenas oito mensalidades, em vez das 12 atuais, deixando as demais para serem pagas depois da formatura do aluno. A medida deve impactar o giro financeiro das empresas do setor.

Acompanhe tudo sobre:B3bolsas-de-valoresIbovespaMercado financeiroSer Educacional

Mais de Mercados

Quem ganha e quem perde no mercado no caso da vitória de Trump?

China estabelece fundo de investimentos em ativos de terra de empresas estatais de 30 bilhões yuans

Atentado a Trump fortalece o dólar e impulsiona novo trade na bolsa, diz economista-chefe da Avenue

Bolsa americana bate novo recorde após ataque a Trump

Mais na Exame