Acompanhe:

Petrobras diz ter tomado conhecimento de despacho do TCU sobre dividendos

A companhia informou ainda que, por meio do despacho, foi determinada a realização de diligências para obtenção de informações adicionais para decisão final de mérito

Petrobras: Ministério Público que atua junto ao TCU sugeriu em representação que a Corte de Contas apurasse e avaliasse a legalidade do pagamento de distribuição de dividendos da Petrobras (Pilar Olivares/Reuters)

Petrobras: Ministério Público que atua junto ao TCU sugeriu em representação que a Corte de Contas apurasse e avaliasse a legalidade do pagamento de distribuição de dividendos da Petrobras (Pilar Olivares/Reuters)

E
Estadão Conteúdo

18 de novembro de 2022, 17h35

A Petrobras disse, em comunicado divulgado nesta sexta-feira, 18 ter tomado conhecimento de despacho do ministro do Tribunal de Contas da União (TCU) Augusto Nardes, que negou a cautelar solicitada pelo Ministério Público para suspender o pagamento dos dividendos aprovados no terceiro trimestre de 2022.

A companhia informou ainda que, por meio do despacho, foi determinada a realização de diligências para obtenção de informações adicionais para decisão final de mérito. A Petrobras se pronunciou após a veiculação de notícias sobre o assunto.

Em 4 de novembro, o Ministério Público que atua junto ao TCU sugeriu em representação que a Corte de Contas apurasse e avaliasse a legalidade do pagamento de distribuição de dividendos da Petrobras aprovado pelo Conselho de Administração da estatal, calculado em R$ 43,68 bilhões.

A representação foi assinada pelo subprocurador-geral Lucas Rocha Furtado, dirigida ao presidente em exercício do TCU, Bruno Dantas. Augusto Nardes é o relator do caso.