Invest

Petrobras desaba, payroll nos EUA e sucessão na Vale: 3 assuntos que movem o mercado

ADRs da Petrobras caem 10% nos pré-mercado americano, após companhia anunciar que não fará distribuição de dividendos extraordinários

 (Wilson Melo/Agência Petrobras)

(Wilson Melo/Agência Petrobras)

Guilherme Guilherme
Guilherme Guilherme

Repórter de Invest

Publicado em 8 de março de 2024 às 07h17.

As principais bolsas de valores operam perto da estabilidade na manhã desta sexta-feira, 8, com investidores à espera de dados oficiais do mercado de trabalho dos Estados Unidos.

Payroll nos EUA

Entre os números mais aguardados estão os de criação de empregos urbanos, o payroll, que deve apresentar 198.000 novos postos de trabalho em fevereiro, segundo o consenso de mercado. A expectativa para a taxa de desemprego é de manutenção dos atuais 3,7%. com uma alta de 4,4% no salário médio por hora trabalhada. Um mercado de trabalho mais fraco que o esperado tende a reacender o debate por cortes de juros mais cedo nos Estados Unidos. Hoje, o cenário tido como o mais provável é de que os cortes comecem apenas em junho. No início do ano, esperava-se o início em março. Mas dados de inflação e o próprio payroll do mês passado, que saiu muito mais forte que o previsto, levaram investidores a adiarem as apostas para o início do afrouxamento monetário.

Nesta semana, em testemunho no Congresso americano, o presidente do Federal Reserve, Jerome Powell, alertou que está próximo de começar a cortar a taxa de juro, mas que ainda não vê espaço para começar na reunião de março. "Quando" o Fed começará os cortes tem sido o principal  tema dos mercados globais desde o fim da alta de juros.

Petrobras em queda livre

Apesar da importância da discussão para os ativos do mundo inteiro, o Brasil deve estar mais alheio nesta sexta, dado o potencial impacto da Petrobras na bolsa brasileira nesta sexta. Isso porque a companhia, inesperadamente, anunciou que não fará a distribuição dos dividendos extraordinários, para o qual o mercado esperava cerca de R$ 9 bilhões. A consequência é uma forte desvalorização dos papéis, que se arrasta desde o pós-mercado dos Estados Unidos. No mercado americano, as ADRs da companhia desabam cerca de 10% antes do início das negociações à vista. Caso o movimento seja replicado pelas ações da companhia no Brasil, o Ibovespa deverá sentir uma forte pressão de baixa, dada a participação da estatal no índice. A empresa possui a maior fatia do índice, com cerca de 13% de participação.

Em resultado apresentado na véspera, a Petrobras teve lucro de R$ 31,04 bilhões no quarto trimestre de 2023, 28,4% abaixo do registrado no mesmo período de 2022

Sucessão na Vale

Outra gigante do mercado brasileiro, a Vale, segue nos holofotes do mercado. Isso porque nesta sexta o Conselho de Administração da companhia irá se encontrar em reunião que poderá definir o presidente da companhia. A tendência, segundo reportagem do Valor, é o atual  CEO, Eduardo Bartolomeo, ser reconduzido ao cargo, com um processo sucessório iniciando ainda dentro do período de seu mandato. Ainda de acordo com o Valor, o governo vem tentando influenciar na escolha, mas sofre resistência.

Acompanhe tudo sobre:bolsas-de-valoresPayrollValePetrobras

Mais de Invest

Temores sobre interferência no BC são exagerados e dólar deve cair, diz Gavekal Research

Extratos bancários serão padronizados a partir de julho; veja o que muda

Seis desdobramentos da reunião do Copom que manteve a Selic em 10,50%, segundo o BTG Pactual

Qual a diferença entre Nasdaq e NYSE?

Mais na Exame