Invest

Parceira da Shein no Brasil entra em recuperação judicial

Coteminas foi escolhida para confeccionar roupas da Shein no país; empresa está com divulgação de balanços atrasada

Shein: empresa escolheu a Coteminas para fabricar roupas no Brasil; empresa já estava em dificuldade financeira na época (Pavlo Gonchar/SOPA/Getty Images)

Shein: empresa escolheu a Coteminas para fabricar roupas no Brasil; empresa já estava em dificuldade financeira na época (Pavlo Gonchar/SOPA/Getty Images)

Guilherme Guilherme
Guilherme Guilherme

Repórter de Invest

Publicado em 8 de maio de 2024 às 14h14.

Última atualização em 8 de maio de 2024 às 14h25.

Tudo sobreShein
Saiba mais

A Coteminas informou nesta quarta-feira, 8, que obteve decisão favorável ao pedido de recuperação judicial. O pedido, segundo a companhia, foi realizado após o fundo de investimento em participações (FIP) Ordenes alegou vencimento antecipado das debêntures emitidas pela Ammo Varejo, do mesmo grupo da Coteminas. Como consequência do vencimento antecipado o FIP pretendia garantir a transferência da totalidade das ações da Ammo, de titularidade da Coteminas.

A Shein escolheu a Coteminas para uma parceria visando a confecção das roupas da empresa no Brasil. A parceria foi anunciada em meio aos planos do governo em aumentar os impostos sobre importações.

Na época do anúncio da parceria, as ações da Coteminas chegaram a triplicar de valor.

Dívida e balanços atrasados

A Coteminas, no entanto, afirma que, desde o fim da pandemia, "vem tendo seus negócios negativamente impactados pela combinação de fatores adversos que acarretaram dificuldades financeiras".

Apesar das dificuldades financeiras alegadas pela empresa, ninguém sabe ao certo o tamanho do problema, dado que as divulgações de balanços estão atrasadas. A última publicação foi referente ao primeiro trimestre de 2023, divulgado em novembro. Àquela altura, a receita vinha caindo pela metade na comparação anual. Sua dívida líquida estava em R$ 672,5 milhões, R$ 82 milhões acima do trimestre imediatamente anterior.

As ações da Coteminas caem cerca de 1% nesta quarta, levando seu valor de mercado para perto de R$ 140 milhões. Em um ano, a queda é próxima de 50%.

Com o pedido de recuperação judicial aceito, a Coteminas diz que "conseguirá a sua restruturação financeira e de todas as empresas do grupo".

Acompanhe tudo sobre:SheinCoteminasAçõesRecuperação Judicial

Mais de Invest

Bancos centrais compram um quinto do ouro do mundo e querem aumentar aposta

Quina de São João: veja os números mais sorteados da história

Dólar bate R$ 5,47 e Ibovespa opera volátil de olho em votação do Copom

Caixa anuncia novos pagamentos do auxílio reconstrução às famílias do RS; veja como sacar R$ 5,1 mil

Mais na Exame