Invest

Ouro fecha em alta e se mantém em níveis historicamente altos, com demanda chinesa

O metal também havia valorizado na sessão anterior, mas caiu 3% no acumulado da semana passada

Ouro: investidores que ficaram de fora do rali mais recente do metal deverão aproveitar as oportunidades de comprar na baixa (KTSDESIGN/SCIENCE PHOTO LIBRARY/Getty Images)

Ouro: investidores que ficaram de fora do rali mais recente do metal deverão aproveitar as oportunidades de comprar na baixa (KTSDESIGN/SCIENCE PHOTO LIBRARY/Getty Images)

Estadão Conteúdo
Estadão Conteúdo

Agência de notícias

Publicado em 29 de abril de 2024 às 17h51.

Última atualização em 29 de abril de 2024 às 17h56.

Tudo sobreOuro
Saiba mais

O ouro fechou em alta nesta segunda-feira, 29, mantendo-se em níveis historicamente altos com apoio de demanda chinesa e de bancos centrais. Na Comex, divisão de metais da New York Mercantile Exchange (Nymex), o ouro com entrega prevista para junho fechou em alta de 0,44%, a US$ 2.357,70 a onça-troy.

O metal também havia valorizado na sessão anterior, mas caiu 3% no acumulado da semana passada. Analista da City Index, Fawad Razaqzada não descarta a possibilidade de uma correção mais significativa — dado que esta semana contará com decisão do Federal Reserve (Fed, o banco central americano) e outros fortes drivers macroeconômicos —, mas ressalta que o metal continua "fundamentalmente apoiado".

Ele teoriza também que os investidores que ficaram de fora do rali mais recente do metal deverão aproveitar as oportunidades de comprar na baixa. "Este poderia ser outro fator de apoio aos preços", escreveu o economista.

Pressões inflacionárias

Razaqzada cita ainda que, com as pressões inflacionárias erodindo o poder de compra das moedas tradicionais, ativos como ouro e prata ganharam valor. Outro ponto que ele destaca como um possível "sinal bullish" (isto é, que aponta para um movimento altista) é que o ouro tem se mostrado resiliente contra a força do dólar e dos juros dos Treasuries — "fatores que no passado o mantiveram pressionado".

A Heraeus Precious Metals também sublinhou o distanciamento dos Treasuries e do dólar como drivers do mercado de ouro. A consultoria afirmou que, nesta segunda, uma forte demanda física de investidores chineses e do Banco do Povo da China (PBoC, na sigla em inglês) está contribuindo para manter o metal valorizado. "O poder de mexer no preço do ouro está se movendo do Oeste para o Leste", afirmou, em relatório nesta segunda-feira. "A China é o maior mercado para demanda por ouro no varejo, e as dificuldades do setor de propriedade de uma desaceleração do mercado acionário chinês podem ter empurrado mais investidores para o ouro."

Acompanhe tudo sobre:Ouro

Mais de Invest

Weg (WEGE3): ainda vale investir na ação depois da alta de 27% em 2024?

Nubank fora do ar? Aplicativo tem instabilidade e clientes não conseguem completar operações

Propostas de Trump podem pressionar inflação nos EUA, diz estrategista da BlackRock

Ibovespa opera em alta com ajuda de Petrobras (PETR4); Dow Jones bate recorde histórico

Mais na Exame