Oferta da Eletrobras já atrai demanda de R$ 13 bilhões, dizem fontes

A transação deve ser lançada formalmente nos próximos dias, mas os bancos já começaram a entrar em contato com potenciais compradores
Eletrobras: com o aumento de capital, a fatia do governo poderá cair para abaixo de 50% do capital votante da empresa (Ueslei Marcelino/Reuters)
Eletrobras: com o aumento de capital, a fatia do governo poderá cair para abaixo de 50% do capital votante da empresa (Ueslei Marcelino/Reuters)
Por BloombergPublicado em 26/05/2022 09:36 | Última atualização em 26/05/2022 09:36Tempo de Leitura: 2 min de leitura

Um grupo de investidores sinalizou interesse em comprar cerca de R$ 13 bilhões em ações da Eletrobras, no que pode ser uma das maiores ofertas públicas já realizadas no Brasil, segundo pessoas com conhecimento do assunto.

A transação deve ser lançada formalmente nos próximos dias, mas os bancos já começaram a entrar em contato com potenciais compradores, disseram as pessoas, pedindo para não serem identificadas discutindo assuntos privados. Se a operação for bem-sucedida, poderá resultar na privatização da companhia.

A Eletrobras não comenta.

Com o aumento de capital, a fatia do governo poderá cair para abaixo de 50% do capital votante da empresa. Em relatório de 22 de maio, analistas do UBS BB citaram expectativas de que a oferta levante um total de cerca de R$ 30 bilhões, incluindo a oferta primária e secundária de ações.

A venda, que precisou ser aprovada pelo TCU e pelo Congresso ao longo dos últimos doze meses, aconteceria em meio a uma forte desaceleração das ofertas brasileiras neste ano, com a escalada de juros e expectativa de turbulência eleitoral, o que esfria o apetite por transações.

Os bancos coordenadorers da oferta são Bank of America, BTG Pactual, Goldman Sachs, Itaú BBA, XP Investimentos, Bradesco BBI, Caixa Econômica Federal, Citi, Credit Suisse, JP Morgan, Morgan Stanley e Safra, de acordo com comunicado da Eletrobras no fim do ano passado.