Invest

No radar: bolsas em alta, IGP-M, mudança na Petro e o que move os mercados

Índices futuros americanos operam em leve alta após recordes de sexta-feira

Painel de negociações da B3 | Foto: Germano Lüders/Exame (Germano Lüders/Exame)

Painel de negociações da B3 | Foto: Germano Lüders/Exame (Germano Lüders/Exame)

BQ

Beatriz Quesada

Publicado em 30 de agosto de 2021 às 07h00.

Última atualização em 30 de agosto de 2021 às 09h10.

Esta reportagem faz parte da newsletter EXAME Desperta. Assine gratuitamente e receba todas as manhãs um resumo dos assuntos que serão notícia.

As bolsas globais sobem nesta segunda-feira, dando continuidade ao movimento positivo da última semana. Os índices futuros americanos operam com leves ganhos após o S&P 500 e o Nasdaq terem conquistado novos recordes no último pregão. 

Os investidores seguem repercutindo positivamente o discurso do presidente do Federal Reserve (Fed, banco central americano). Na última sexta-feira, Jerome Powell afirmou que o Fed deve começar a retirada gradual de estímulos da economia, processo conhecido como tapering, ainda em 2021. 

Por outro lado, Powell declarou que a autoridade monetária não tem pressa em subir a taxa de juros -- declaração que continua alimentando o apetite ao risco nas bolsas mundiais. O mercado agora aguarda a divulgação do relatório de emprego americano, o payroll de agosto, que será divulgado na próxima sexta-feira, 3. Os dados podem indicar se a perspectiva do Fed para o mercado de trabalho se mantém, dando maiores pistas sobre os próximos passos da entidade monetária.

Petróleo em queda

Investidores também monitoram o movimento dos preços do barril de petróleo, após a passagem do furacão Ida nos Estados Unidos, forçando desligamentos e evacuações em centenas de plataformas de petróleo. O evento causa incerteza e derruba o preço do barril da commodity, que vinha em uma trajetória de três semanas consecutivas de alta.

O petróleo WTI, referência para o mercado americano, recua 1,18%, enquanto o petróleo Brent cai 0,63%. 

IGP-M e inflação

Por aqui, o Ibovespa acompanhou o movimento de alta no exterior e encerrou a última semana em alta de 2,26%. Nesta segunda-feira, o olhar dos investidores deve voltar para o cenário doméstico com a divulgação de novos dados de inflação. 

O Índice Geral de Preços - Mercado (IGP-M) de agosto será divulgado pela FGV às 8h. O índice é utilizado como referência para a correção de valores de contratos, como os de aluguel de imóveis. A expectativa do mercado é de que o IGP-M apresente uma alta de 0,78% na comparação mês a mês e de 31,29% na comparação atual. 

Vale lembrar que, na última semana, o IPCA-15 surpreendeu negativamente. O indicador, considerado a prévia da inflação no País, cresceu 0,89% em agosto, acima do esperado pelos economistas. O valor foi o maior registrado para o mês desde 2002. Com isso, o índice acumula alta de 5,81% no ano e de 9,3% em 12 meses.

yt thumbnail

Petrobras vende Breitener

Após o fechamento do mercado na última sexta-feira, a Petrobras (PETR3/PETR4) informou que assinou contrato para a venda da totalidade de sua participação de 93,7% na Breitener Energética para a Breitener Holdings, uma subsidiária integral da Ceiba Energy. O negócio movimentou 304 milhões de reais e ainda está sujeito à aprovação pelo Cade.

A Breitener Energética, localizada no Amazonas, é uma sociedade de capital fechado que administra as companhias Breitener Tambaqui e Breitener Jaraqui, ambas especializadas na produção e comercialização de eletricidade. As empresas são proprietárias das termelétricas Tambaqui e Jaraqui, em Manaus, que possuem capacidade instalada de 155,8 megawatts (MW) e 156,7 MW, respectivamente.

Eleição de conselho frustra minoritários

Acionistas minoritários da Petrobras conseguiram eleger apenas um membro para o conselho de administração da companhia durante a assembleia geral da última sexta-feira. Sete membros do conselho, todos indicados pela União, foram reconduzidos a seus cargos.

Com a eleição, a Petrobras passará a contar com um total de três membros indicados por minoritários, sete indicados pela União e um por trabalhadores, considerando os assentos que não estiveram em jogo nessa reunião.

Como adiantou o Exame IN, os minoritários queriam ampliar sua presença de três para cinco.

Vibra anuncia emissão de debêntures

O conselho de administração da Vibra Energia (BRDT3), antiga BR Distribuidora, anunciou a terceira emissão de debêntures da companhia na última sexta-feira, no valor total de 800 milhões de reais.

Segundo fato relevante, as debêntures terão prazo de dez anos a partir da data de emissão, vencendo em 11 de setembro de 2031. Elas serão vinculadas a certificados de recebíveis do agronegócio (CRAs) de emissão da Virgo Companhia de Securitização.

Acompanhe tudo sobre:bolsas-de-valoresIGP-MInflaçãoPetrobrasPetróleo

Mais de Invest

Ata do Copom, Galípolo, arrecadação federal e falas do Fed: o que move o mercado

O que são herdeiros necessários? Entenda neste artigo

O que é equity e como o investimento funciona?

Conheça o novo lançamento do BTG Pactual: Crédito por Investimentos

Mais na Exame