IGP-M: inflação do aluguel sobe 0,66% em agosto; alta é de 16,75% no ano

O Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA), que responde por 60% do índice geral e apura a variação dos preços no atacado, variou 0,66% em agosto, ante 0,71% em julho
Preço da energia registrou alta de 3,26%, sendo a principal influência para a inflação ao consumidor (Germano Lüders/Exame)
Preço da energia registrou alta de 3,26%, sendo a principal influência para a inflação ao consumidor (Germano Lüders/Exame)
I
Isabela Rovaroto

Publicado em 30/08/2021 às 08:33.

Última atualização em 30/08/2021 às 08:49.

O Índice Geral de Preços-Mercado (IGP-M) registrou alta de 0,66% em agosto, depois de subir 0,78% em julho, segundo dados divulgados nesta segunda-feira pela Fundação Getulio Vargas (FGV). Com este resultado o índice acumula alta de 16,75% no ano e de 31,12% em 12 meses.

  • Fique por dentro das principais notícias do Brasil e do mundo. Assine a EXAME

“Se não fosse a crise hídrica, o IGP-M apresentaria desaceleração mais forte. No IPA, culturas afetadas pela estiagem, como milho (-4,58% para 10,97%) e café (0,04% para 20,98%) registraram forte avanço em seus preços. No âmbito do consumidor, o preço da energia, para a qual é esperado novo reajuste em setembro, registrou alta de 3,26%, sendo a principal influência para a inflação ao consumidor”, afirma André Braz, Coordenador dos Índices de Preços.

O Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA), que responde por 60% do índice geral e apura a variação dos preços no atacado, variou 0,66% em agosto, ante 0,71% em julho. A taxa do grupo Bens Finais subiu 2,22% em agosto. No mês anterior, o índice havia variado 1,08%. A principal contribuição para este resultado partiu do subgrupo alimentos in natura, cuja taxa passou de -1,14% para 8,28%, no mesmo período.

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) variou 0,75% em agosto, ante 0,83% em julho. Três das oito classes do índice registraram decréscimo em suas taxas de variação. A principal contribuição partiu do grupo Educação, Leitura e Recreação (2,16% para 0,53%). Entre os componentes do grupo, o destaque ficou com os preços das passagens aéreas, que passaram a avançar 3,17% em agosto, após dispararem 24,69% no mês passado.

O Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) variou 0,56% em agosto, ante 1,24% no mês anterior. Os três grupos componentes do INCC registraram as seguintes variações na passagem de julho para agosto: Materiais e Equipamentos (1,52% para 1,17%), Serviços (0,65% para 0,78%) e Mão de Obra (1,12% para 0,00%).

O IGP-M é utilizado como referência para a correção de valores de contratos, como os de aluguel de imóveis.

Toda semana tem um novo episódio do podcast EXAME Política. Disponível abaixo ou nas plataformas de áudio Spotify, Deezer, Google Podcasts e Apple Podcasts