Invest

IPCA, cautela na Europa, produção de petróleo e queda do minério de ferro: o que move o mercado

Às vésperas da decisão de juros nos Estados Unidos, mercados internacionais operam majoritariamente em queda

Radar: mercado está de olho em relatório da produção de petróleo pela Opep (Getty Images/Reprodução)

Radar: mercado está de olho em relatório da produção de petróleo pela Opep (Getty Images/Reprodução)

Rebecca Crepaldi
Rebecca Crepaldi

Repórter de finanças

Publicado em 11 de junho de 2024 às 08h29.

Os mercados internacionais operam majoritariamente em queda na manhã desta terça-feira, 11. As bolsas da Ásia fecharam sem direção única, à espera de dados da inflação na China. Nos Estados Unidos, às vésperadas da decisão do Federal Reserve (Fed, banco central americano) sobre os juros, os índices futuros caem. Na Europa, ainda na esteira das eleições parlamentares polarizadas, as bolsas caem. Por aqui, após renovar a mínima do ano, o Ibovespa futuro sobe.

IPCA

Na agenda dos indicadores econômicos, o destaque será a divulgação do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) às 9h. A expectativa do mercado é que esse novo dado já traga reflexos das enchentes do Rio Grande do Sul (RS), com o consenso da London Stock Exchange Group (LSEG) projetando alta de 0,42% na base mensal e 3,89% na base anual.

Ontem, o Banco Central (BC) elevou as projeções da inflação no Boletim Focus novamente. Para 2024, pela quinta semana consecutiva, a inflação subiu de 3,88% para 3,90%. Já o IPCA para 2025 foi elevado pela sexta semana consecutiva, subindo de 3,77% para 3,78%. A inflação para 2026 e 2027 se manteve em 3,60% e 3,50%, respectivamente.

Na Europa

O mercado ainda acompanha a crise política que paira na Europa após o presidente da França, Emmanuel Macron, dissolver o Parlamento francês e convocar eleições legislativas antecipadas em função da derrota que sofreu para a extrema direita. O movimento é derivado da forte polarização nas eleições, com significativos avanços de partidos eurocéticos e de extrema-direita em vários países.

Pela manhã, a presidente do Banco Central Europeu (BCE), Christine Lagarde, manteve o tom duro durante uma entrevista ao jornal, dizendo que o BCE pode manter os juros na próxima reunião. “As taxas de juros poderão permanecer inalteradas por mais de uma reunião do BCE [...] Ainda não estamos declarando vitória sobre a inflação [...] São necessários mais dados, principalmente sobre salários, para orientar as próximas decisões”, pontuou em entrevista.

Produção de petróleo

Outro foco dos investidores hoje é a divulgação do relatório mensal da produção de petróleo divulgado pela Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep). Nos últimos pregões, a commodity (tanto o petróleo WTI como o brent) operava na casa dos US$ 70, preços considerados baixos para o barril. Entretanto, caso a produção mostre uma queda, o preço pode subir, já que a oferta do produto irá diminuir.

Minério de ferro e China

Na volta do feriado da China, o minério de ferro recuou fortemente, com a commodity registrando queda de 4,16% na bolsa de Dalian, nível mais baixo em dois meses, o que pode pressionar o Ibovespa. Um dos motivos para a desvalorização são as dúvidas sobre os esforços da China para aliviar a crise imobiliária. Hoje, o país asiático divulga seus dados de inflação.

Acompanhe tudo sobre:Ibovespabolsas-de-valoresOpepPetróleoMinério de ferroIPCAChristine LagardeChinaEuropa

Mais de Invest

Dinheiro esquecido: mais de R$ 8 bi estão disponíveis para devolução; veja como sacar

Quanto devo investir para ter uma aposentadoria de R$ 10 mil?

Quanto rende R$ 1 milhão a 110% do CDI?

É obrigatório contratar advogado para fazer um testamento?

Mais na Exame