Invest

IPCA-15, Carrefour, Walmart e o que mais move o mercado

Revisão de guidance do Walmart alimenta temores sobre efeitos da inflação em resultados corporativos e joga pressão sobre balanços do setor

Loja do Carrefour em São Paulo. (Germano Lüders/Exame)

Loja do Carrefour em São Paulo. (Germano Lüders/Exame)

GG

Guilherme Guilherme

Publicado em 26 de julho de 2022 às 07h06.

Última atualização em 26 de julho de 2022 às 07h24.

Investidores adicionam doses de cautela nas negociações desta terça-feira, 26, a apenas um dia da decisão de política monetária do Federal Reserve (Fed). Apostas de manutenção do ritmo de 0,75 ponto percentual de alta seguem majoritárias nesta manhã. Mas a probabilidade de aceleração para 1 p.p. tem aumentado gradualmente desde o fim da última semana, voltando a se aproximar de 30%, segundo monitor do CME Group.

Enquanto aguardam os próximos passos do Fed para conter a inflação americana, investidores seguem atentos aos dados corporativos do segundo trimestre.

O Walmart, que irá apresentar o balanço completo do período apenas em meados de agosto, revisou suas expectativas para o resultado na última noite, gerando uma forte reação nos Estados Unidos. As ações da rede de hipermercados despencam quase 9% no pré-mercado desta manhã.

A revisão das expectativas foi afetada principalmente pela inflação histórica que vive o país. A margem operacional esperada pelo Walmart caiu para apenas 4,2% para o segundo trimestre. A empresa ainda informou que espera queda do lucro por ação na ordem de 8% a 9%.

"A inflação de alimentos é de dois dígitos e maior do que no final do primeiro trimestre. Isso está afetando a capacidade dos clientes de gastar em categorias gerais de mercadorias e exigindo mais descontos para percorrer o estoque, principalmente vestuário", afirmou o Walmart em documento enviado à SEC. 

Assine a EXAME e fique por dentro das principais notícias que afetam o seu bolso. Tudo por menos de R$ 0,37/dia.

Desempenho dos indicadores às 7h10 (de Brasília):

  • Dow Jones futuro (Nova York): - 0,40%
  • S&P 500 futuro (Nova York): - 0,25%
  • Nasdaq futuro (Nova York): - 0,24%
  • FTSE 100 (Londres): + 0,61%
  • DAX (Frankfurt): - 0,36%
  • CAC 40 (Paris): - 0,12%
  • Hang Seng (Hong Kong): + 1,67%
  • Shangai Composite (Xangai): + 0,83%
  • Nikkei 225 (Tóquio): - 0,24%

IPCA-15

No Brasil, onde o Banco Central tem buscado frear a inflação há mais tempo, economistas aguardam a divulgação do IPCA-15, da primeira quinzena de julho. O consenso do mercado é de alta de 0,16% para o período, com o IPCA de 12 meses desacelerando de 12,04% para 11,41%.

Balanços do dia: Carrefour e Telefônica

Por outro lado, a revisão das expectativas do Walmart podem ter consequências para o setor na bolsa brasileira. Mas ao menos os acionistas do Carrefour Brasil (CRFB3) não ficarão no escuro por muito tempo. Isso porque o balanço do segundo trimestre da companhia está previsto para esta noite. O GPA (PCAR3) e Grupo Mateus (GMAT3) apresentarão seus resultados amanhã, 27, e no próximo dia 11, respectivamente.

Ainda nesta terça será divulgado o balanço da Telefônica Brasil (VIVT3), também previsto para após o encerramento do pregão.

B3: R$ 3 bi em debêntures

O Conselho de Administração da B3 aprovou a emissão de R$ 3 bilhões em debêntures com prazo de 5 anos. A amortização será feita em duas parcelas iguais em agosto de 2026 e em agosto de 2027.

Veja também:

Alerta de lucro menor derruba Walmart, Amazon e Target no after market

Carrefour (CRFB3): expectativa do 2º tri ainda é de aumento nas vendas com margens espremidas

Acompanhe tudo sobre:Açõesbolsas-de-valoresCarrefourWalmart

Mais de Invest

Justiça Federal libera quase R$ 2,4 bilhões para pagamentos atrasados do INSS; veja como consultar

Fleury (FLRY3) sobe forte na bolsa e analistas questionam se mais aquisições virão

Mega-Sena sorteia nesta terça-feira prêmio estimado em R$ 3,5 milhões

Quina acumulada: quanto rendem R$ 55 milhões na poupança

Mais na Exame