Invest

Grupo Mateus (GMAT3) avalia comprar rede do Novo Atacarejo

Por meio de fato relevante, o Grupo Mateus informou que assinou um memorando de entendimentos não vinculante para a combinação de negócios, que ainda não tem valor divulgado

Grupo Mateus: Ilson Mateus Rodrigues, CEO da companhia (Leandro Fonseca/Exame)

Grupo Mateus: Ilson Mateus Rodrigues, CEO da companhia (Leandro Fonseca/Exame)

Rebecca Crepaldi
Rebecca Crepaldi

Repórter de finanças

Publicado em 29 de maio de 2024 às 10h31.

Última atualização em 29 de maio de 2024 às 12h02.

Tudo sobreVarejo
Saiba mais

O Grupo Mateus (GMAT3) comunicou ao mercado nesta quarta-feira, 29, que avalia comprar uma fatia do rede do Novo Atacarejo. A informação foi publicada por meio de fato relevante em que a companhia informa a assinatura de um memorando de entendimentos não vinculante (MOU) para a possível operação.

A combinação de negócios ainda não teve o valor divulgado, mas segundo o documento, o Grupo Mateus ficaria com uma fatia de 51% do Novo Atacarejo, o que o colocaria como o controlador principal. A iniciativa da companhia visa fortalecer a expansão do Grupo Mateus na região Nordeste do país. A combinação do novo atacarejo será de 50 lojas que irão operar em Pernambuco, Paraíba e Alagoas. Juntos, a expectativa de faturamento no negócio é de cerca de 7 bilhões de reais.

Para dar sequência aos trâmites, a companhia contratou o Itaú BBA como assessor financeiro e Pinheiro Guimarães como assessor jurídico. Já o Novo Atacarejo contratou como assessor financeiro o Araújo Fontes e como assessor jurídico o escritório Machado Meyer.

A consumação da operação ainda está sujeita à conclusão da diligência, bem como negociação e celebração do acordo definitivo, além de aprovação do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade).

Sinergia de estratégias

O Grupo Mateus destaca no comunicado que o Novo Atacarejo é uma importante rede de atacarejo regional e que, em 2023, registrou mais de R$ 4,5 bilhões de receita bruta. Caso a compra seja concluída, a combinação dos negócios resultaria, segundo o Grupo Mateus, em 50 lojas em operação nos estados de Pernambuco, Paraíba e Alagoas.

“Considerando os estabelecimentos que estavam em operação em 31 de dezembro de 2023, o faturamento bruto combinado da Sociedade Resultante seria de aproximadamente R$ 6,8 bilhões no exercício social de 2023”, informou o comunicado.

Ao justificar o interesse, a companhia também enfatiza que ela e o Novo Atacarejo "possuem modelo de negócios e direcionamento estratégicos similares, com acionistas de referência com forte histórico no setor de varejo de alimentos do Brasil [...] Caso a potencial operação seja concretizada, tal movimento representará o fortalecimento da estratégia de expansão do Grupo Mateus na região Nordeste e o propósito da companhia e do Novo Atacarejo de fomentar a economia da região Norte e Nordeste do país”, diz o fato relevante.

Acompanhe tudo sobre:Grupo Mateus

Mais de Invest

Mega-Sena sorteia neste sábado prêmio acumulado em R$ 112 milhões

Itaú (ITUB4) anuncia novo pagamento de JCP; veja os valores

Payroll-bomba põe em xeque queda de juro em setembro e mercado passa a ver apenas um corte neste ano

Bradesco (BBDC4) anuncia pagamento de R$ 4 bilhões em JCP aos acionistas

Mais na Exame