Acompanhe:

GPA revisa metas para 2024 de olho em maior rentabilidade

Melhoria tem como base aumento da margem comercial, redução do nível de quebra e maior diluição das despesas corporativas

Modo escuro

Continua após a publicidade
Nova loja GPA em São Paulo (GPA/Divulgação)

Nova loja GPA em São Paulo (GPA/Divulgação)

R
Raquel Brandão

Publicado em 7 de dezembro de 2022 às, 08h29.

A rede varejista GPA (PCAR3), dona do supermercado Pão de Açúcar e Extra, revisou sua meta de margem Ebitda (sigla em inglês para lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização, para um crescimento de 8% a 9% no consolidado de 2024.

Segundo a empresa, esse crescimento da margem ajustada está, principalmente, ligado a três linhas do resultado: aumento da margem comercial, redução do nível de quebra e maior diluição das despesas corporativas. A companhia apresenta nesta quarta-feira, 7, os principais planos para a recuperação de seus negócios e a volta do GPA ao seu perfil premium. 

No terceiro trimestre, o mais recentemente divulgado, a margem Ebitda ajustada da companhia foi de 6,3%. No consolidado de 2021, esse indicador foi de 7,4%.

Essa melhoria de rentabilidade vem na esteira da expansão física e reformulação de suas lojas. Até 2024, o plano da companhia é inaugurar 300 unidades. Em 2022, a meta é de 70 lojas novas, das quais 40 serão contabilizadas no quarto trimestre. Neste mês, são 26 inaugurações, sendo 23 unidades de proximidade, como o Minuto Pão de Açúcar, e 3 supermercados da bandeira Pão de Açúcar.

Na semana passada, em inauguração de uma nova loja na zona Sul da capital paulista, Marcelo Pimentel, CEO da empresa, afirmou que a companhia tem buscado aumentar o sortimento de produtos e foco principal na área de perecíveis.

A empresa conseguiu melhorias no indicador de quebra, que representa a perda de itens. Segundo ele, esse "churn era muito maior do que o do mercado no começo do ano, mas vai terminar 1 ponto percentual a menos em fatia da receita." Já as rupturas, que representam  a falta de produtos nas prateleiras, devem ficar 5 pontos percentuais menores, enquanto o NPS, que mede a satisfação dos clientes, deve passar da casa de 50% no primeiro trimestre do ano para 76% ao fim de 2022.

Últimas Notícias

Ver mais
Em momento de baixa nas ofertas públicas de ações nos EUA, 'IPO privado' aparece como opção
seloMercados

Em momento de baixa nas ofertas públicas de ações nos EUA, 'IPO privado' aparece como opção

Há 8 horas

Cenário está bem para uma Selic terminal mais para 9,5%, diz ex-diretor do BC
seloMercados

Cenário está bem para uma Selic terminal mais para 9,5%, diz ex-diretor do BC

Há 15 horas

Quem foi Charlie Munger, homenageado em carta anual de Warren Buffett
seloMercados

Quem foi Charlie Munger, homenageado em carta anual de Warren Buffett

Há um dia

Os "negócios maravilhosos" para investir, segundo Warren Buffett
seloMercados

Os "negócios maravilhosos" para investir, segundo Warren Buffett

Há um dia

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais