Acompanhe:

Em meio a uma queda de demanda da indústria em geral, a siderúrgica Gerdau viu números enfraquecidos no quarto trimestre e reforçou as críticas à "importação predatória" do aço chinês. O lucro líquido caiu 51%, para R$ 587 milhões, abaixo das estimativas do mercado. No ano, o lucro líquido recuou 34%, para R$ 7, 53 bilhões, refletindo a queda da receita.

Considerando ajustes, o lucro líquido de outubro a dezembro foi de R$ 732 milhões, 45% menor do que um ano antes.

A empresa tem sido bastante vocal sobre a pressão da competição com os aços chineses, que recebem subsídios de produção do governo da China e não têm alíquota diferenciada de importação no Brasil. Por algumas vezes o CEO do grupo, Gustavo Werneck classificou a situação como "dramática".

A empresa destacou que as importações de aço no Brasil avançaram 50% em 2023 em comparação com o ano anterior, somando 5 milhões de toneladas. A taxa de penetração de importações no mercado nacional, em dezembro, atingiu 25,2%, segundo o Instituto Aço Brasil.

Em relatório de prévia de resultados, a equipe da Genial Investimentos observou que embora o setor automotivo venha mostrando os primeiros sinais de recuperação -- o que favorece as vendas de Aços Especiais --, a indústria ainda está com demanda baixa, em especial mercado brasileiro. Um impacto relevante vem do segmento de construção civil, quie está desacelerando. "Número de obras pode começar a sentir o efeito da redução de lançamentos imobiliários em 2024, em especial para o segmento de alta e média renda", escreveram os analistas.

No quarto trimestre, a receita líquida da Gerdau caiu 18%, para R$ 14,72 bilhões, enquanto a receita no ano recuou 16,4%, para R$ 68,92 bilhões. "Além da sazonalidade, típica desse período, a continuidade de incertezas relacionadas ao cenário
macroeconômico internacional, marcado por conflitos geopolíticos, e o excesso de produção de aço global, impactando o mercado mundial e, em especial, o Brasil, levaram à retração das vendas e pressionaram as receitas da companhia", escreveu a Gerdau em seu texto de divulgação dos números.

Como vento a favor, no entanto, a companhia tem começado a ver uma redução nos custos de venda, o que ajudou a compesar o efeito no lucro bruto do impacto da queda de demanda e da competição acirrada. Ainda assim, no trimestre, o lucro bruto caiu 41%, para R$ 1,61 bilhão, e recuou 39,6% no ano, para R$ 11,33 bilhões.

A empresa reportou Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) contábil de R$ 1,68 bilhão no quarto trimestre, uma queda de 48%. No ano, o indicador recuou 34,5%, para R$ 13,5 bilhões. Já se considerados ajustes, o Ebitda foi melhor: chegou a R$ 2 bilhões no trimestre, num recuo de 44%, e a R$ 13,5 bilhões no ano (-37%).

Investimentos em 2024

A administração da Gerdau ressaltou que o cenário externo que vem se mostrando mais desafiador, mas reforçou que segue com a estratégia de buscar competitividade no longo prazo para os ativos. No quarto trimestre fez investimentos de R$ 2,0 bilhões, totalizando R$ 5,7 bilhões no ano em projetos voltados às frentes de manutenção e competitividade.

"Para o ano 2024, projetamos investir R$ 6 bilhões em capex (investimento). Reiteramos que os investimentos estratégicos se concentram no crescimento da competitividade das operações e na ampliação da presença em aços longos, planos e SBQ nas Américas", diz a empresa.

Pagamento de dividendos

A Gerdau vai pagar R$ 174,9 milhões aos acionistas referentes ao resultado de 2023. Serão pagos R$ 0,10 por ação, ordinária e preferencial, para quem tiver papéis até 01 de março. O pagamento acontecerá em 12 de março. A Metalúrgica Gerdau pagará R$ 51,6 milhões aos acionistas, sendo R$ 0,05 por ação. O pagamento acontecerá em 13 de março.

Créditos

Últimas Notícias

Ver mais
Por concorrência chinesa, Gerdau coloca funcionários em layoff a partir de abril
seloMercados

Por concorrência chinesa, Gerdau coloca funcionários em layoff a partir de abril

Há 3 semanas

Produção nacional de aço bruto cresce 0,4% em 1 ano e soma 2,7 milhões de t em janeiro
Economia

Produção nacional de aço bruto cresce 0,4% em 1 ano e soma 2,7 milhões de t em janeiro

Há 2 meses

BTG sobre Gerdau: "Cubram seus shorts"
Exame IN

BTG sobre Gerdau: "Cubram seus shorts"

Há 2 meses

"Entramos 2024 com a corda no pescoço", diz CEO da Gerdau
Exame IN

"Entramos 2024 com a corda no pescoço", diz CEO da Gerdau

Há 2 meses

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais