Invest

Gafisa (GFSA3) desiste de oferta de ações e aprova aumento de capital privado de até R$ 150 milhões

Construtora diz que recursos vão permitir aquisição de novos empreendimentos, sejam empresas ou terrenos

Gafisa: companhi desiste de oferta de ações, que dependia de condições econômicas e de mercado (Alexandre Battibugli/Exame)

Gafisa: companhi desiste de oferta de ações, que dependia de condições econômicas e de mercado (Alexandre Battibugli/Exame)

A construtora Gafisa (GFSA3) desistiu de fazer oferta pública primária de ações ordinárias com esforços restrito e resolveu seguir com um aumento de capital privado, no valor de até R$ 150 milhões. Em setembro, a companhia havia dito que avalaiava uma oferta de ações, o que dependia das condições macroeconômicas ou do mercado de capitais.

Nesta sexta-feira, 25, a Gafisa disse que poderão emitidas até 25.466.894 ações ordinárias, ao preço de R$ 5,89 cada. A operação tem como valor mínimo R$ 25 milhões, correspondentes a 4.244.485 ações. Considerando o valor total do aumento de capital, o novo capital social da companhia será de R$ 1,42 bilhão, dividido em 62.960.864 ações.

“Os valores captados serão utilizados principalmente para capitalizar a companhia, permitir a aquisição de novos empreendimentos –sejam de empresas ou de terrenos–, equacionar dívidas e custear novos projetos a taxas menores”, diz a empresa.

Cada ação ordinária da companhia dará direito à subscrição de 0,40448766775261 nova ação no aumento de capital. Caso não haja exercício do direito de preferência, a diluição será de 32,08%, segundo informação da empresa.

Há pouco, às 12h30, a ação da construtora caía 1,06%.

Acompanhe tudo sobre:Construção civilGafisaOfertas de ações

Mais de Invest

Como esta gestora brasileira surfou onda das bolsas americanas e rendeu 400% em 5 anos

Quina de São João: confira o resultado e quantas apostas foram sorteadas

Veja o resultado da Mega-Sena, concurso 2740; prêmio acumulado é de R$ 86 milhões

Veja o resultado da Quina especial de São João; prêmio é de R$ 230 milhões

Mais na Exame