Acompanhe:

Com dificuldades de caixa, Gol pede a credores US$ 1 bi para consertar aviões parados

Empresa tem atualmente pelo menos 20 de sua frota de 140 aeronaves paralisadas devido a motores precisando de conserto

Modo escuro

Continua após a publicidade
A Gol continuará renovando sua frota, devolvendo aeronaves mais antigas que estão paralisadas e recebendo aeronaves de nova geração, disse a Moody’s (Gol/Divulgação)

A Gol continuará renovando sua frota, devolvendo aeronaves mais antigas que estão paralisadas e recebendo aeronaves de nova geração, disse a Moody’s (Gol/Divulgação)

A Gol, companhia aérea brasileira em dificuldades, está pedindo dinheiro novo aos arrendadores de seus aviões para ajudar a financiar reparos nos motores dessas aeronaves, segundo pessoas familiarizadas com o assunto.

A empresa tem atualmente pelo menos 20 de sua frota de 140 aeronaves paralisadas devido a motores precisando de conserto, disseram as pessoas, que pediram anonimato porque as discussões são confidenciais. A conta para a revisão dos motores dos aviões parados, bem como de outras aeronaves de sua frota, é estimada em cerca de US$ 1 bilhão (cerca de R$ 5 bilhões) em três anos, disse uma das pessoas.

A companhia aérea brasileira entrou com pedido de recuperação judicial em Nova York no final do mês passado, em uma tentativa de reorganizar sua dívida. Em dezembro de 2023, a Gol tinha US$ 8,3 bilhões em passivos totais e US$ 4,2 bilhões em dívidas financeiras, incluindo obrigações de leasing, dos quais US$ 2,1 bilhões possuem garantias, de acordo com a Moody’s.

Reforma dos aviões

Parte da reforma nas aeronaves será financiada por meio do chamado empréstimo DIP (debtor-in-possession) de US$ 950 milhões - modalidade de financiamento para empresa que se encontra em processo de Recuperação Judicial para suprir a falta de fluxo de caixa . Ao mesmo tempo, a companhia aérea busca ajuda dos arrendadores para pagar a maior parte da conta, disseram as pessoas.

A empresa também está pedindo aos arrendadores que concordem em trocar dívida antiga por capital, disseram .

As negociações ainda estão em seus estágios iniciais, mas os arrendadores estão inclinados a trabalhar com a Gol, pois enfrentam a perspectiva de terem que pagar sozinhos por toda a reforma e não receber o dinheiro investido de volta, disseram as pessoas.

Os juízes da recuperação judicial também podem estar inclinados a não permitir o retorno de aeronaves mais novas e operacionais, uma vez que a Gol precisaria delas para a sua reestruturação.

Arrecadação

A empresa obteve US$ 950 milhões em um financiamento DIP para continuar operando durante o processo de reorganização, concedido pelos credores de sua controladora Abra, incluindo fundos como o Elliott.

A Gol continuará renovando sua frota, devolvendo aeronaves mais antigas que estão paralisadas e recebendo aeronaves de nova geração, disse a Moody’s. A companhia aérea manterá o cronograma de recebimento de novas aeronaves atrasadas em 2023 e com entrega prevista para 2024.

*Matéria produzida pela Bloomberg e disponibilizada na agência O Globo.

Créditos

Últimas Notícias

Ver mais
Dona do Burger King vai assumir o Starbucks no Brasil? Veja o que diz a empresa
seloNegócios

Dona do Burger King vai assumir o Starbucks no Brasil? Veja o que diz a empresa

Há 5 horas

Como a dona de parques e hotéis de Gramado quer se recuperar de uma dívida de R$ 1,3 bilhão
seloNegócios

Como a dona de parques e hotéis de Gramado quer se recuperar de uma dívida de R$ 1,3 bilhão

Há 3 dias

CEO da SouthRock pode ter bens penhorados por crise bilionária da Starbucks e da Subway no Brasil
seloNegócios

CEO da SouthRock pode ter bens penhorados por crise bilionária da Starbucks e da Subway no Brasil

Há uma semana

No primeiro ano no Brasil, Houlihan Lokey quer ir além das reestruturações
Exame IN

No primeiro ano no Brasil, Houlihan Lokey quer ir além das reestruturações

Há uma semana

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais