Invest

Bolsas da Europa fecham em queda, com atenções para a 5ª manutenção seguida de juros pelo BCE

Índice pan-europeu Stoxx 600 caiu 0,44%, aos 504,34 pontos

Christine Lagarde, presidente do Banco Central Europeu (Lukas Schulze/Getty Images)

Christine Lagarde, presidente do Banco Central Europeu (Lukas Schulze/Getty Images)

Estadão Conteúdo
Estadão Conteúdo

Agência de notícias

Publicado em 11 de abril de 2024 às 14h09.

As bolsas da Europa fecharam na maioria em baixa nesta quinta-feira, 11, em dia marcado pela decisão do Banco Central Europeu (BCE) de manter juros pela quinta reunião consecutiva.

Após o anúncio, as atenções se voltaram para a coletiva de imprensa da presidente do BCE, Christine Lagarde, que deu indicativos de que o primeiro corte de taxas após o recente ciclo de alta de juros pode vir na reunião de junho do banco central.

O índice pan-europeu Stoxx 600 caiu 0,44%, aos 504,34 pontos. O destaque nas quedas entre os índices foi o Ibex 35, que caiu 1 16%, aos 10.649,80 pontos, em seu quinto recuo consecutivo.

Lagarde afirmou nesta quinta que os dirigentes não pretendem esperar que todos os componentes da inflação cheguem à meta de 2%, antes de decidir por corte de juros. "O que ocorre na zona do euro não será um espelho do que acontece nos EUA", disse ainda a dirigente, após as recentes indicações de uma demora maior para o começo do corte de juros pelo Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano).

A Capital Economics acredita que um corte de juros pelo BCE em sua próxima reunião, de junho, é "muito provável". A consultoria nota que Lagarde não se comprometeu com uma trajetória para os juros, mas destaca também a sinalização do comunicado de que uma maior confiança na inflação tornaria um corte "apropriado".

Entre as empresas, a unidade de energia renovável da Enel, Enel Green Power, reservou 2 milhões de euros para assistência aos afetados por um acidente na usina hidrelétrica de Bargi, na Itália. Os fundos servirão para ajudar as pessoas afetadas pelo acidente e suas famílias a atender necessidades urgentes e de curto prazo, de acordo com a empresa.

Em Milão, os papéis da empresa subiram 0,14%, onde o FTSE MIB teve queda de 0,96%, aos 33.713,94 pontos.

Já as ações do Société Générale subiram 0,32% em Paris, após o banco francês anunciar a venda da maior parte de suas operações de financiamento de equipamentos profissionais ao Groupe BPCE, por 1,1 bilhão de euros. Na capital francesa, o CAC 40 caiu 0 27%, a 8.023,74 pontos.

Em Londres, o FTSE 100 recuou 0,49%, a 7.923,80 pontos. Em Frankfurt, o DAX teve queda de 0,82%, a 17.949,26 pontos. A exceção foi Lisboa, onde o PSI 20 teve alta de 0,27%, a 6.296,44 pontos.

Acompanhe tudo sobre:bolsas-de-valoresBCEEuropaChristine LagardeFed – Federal Reserve SystemEstados Unidos (EUA)Inflação

Mais de Invest

Nvidia (NVDC24) dispara mais de 7% no pré-mercado após balanço do 1T24 surpreendente

IR 2024: Receita libera consulta ao maior lote da história; veja se você já recebe

Lucro da Nvidia cresce 628% e atinge US$ 14,88 bi no 1º trimestre

O país que superou os EUA em IPOs no 1º tri — e o que isso diz sobre o Brasil

Mais na Exame