Invest

Alibaba suspende IPO da Cainiao, braço de logística do grupo

Não é a primeira vez que a companhia desiste de um IPO

Publicado em 27 de março de 2024 às 08h48.

A gigante chinês de e-commerce Alibaba anunciou no ano passado a maior reestruturação de sua história – mas a jornada tem sido mais turbulenta do que o antecipado. Na última terça-feira, a companhia anunciou que suspendeu uma parte de seu plano, de listar as ações de sua unidade de logística, Cainiao, na bolsa de valores de Hong Kong.

A intenção havia sido anunciada inicialmente em maio de 2023, com previsão de que o IPO acontecesse em até um ano e meio. Agora, a empresa anunciou que tem interesse em comprar as participações minoritárias da unidade por até US$ 3,75 bilhões.

“Dada a importância estratégica da Cainiao para o Alibaba e a significativa oportunidade de longo prazo que vemos na construção de uma rede logística global, acreditamos que esse é um momento apropriado para duplicar o investimento do Alibaba na Cainiao”, disse o presidente do Alibaba, Joseph Tsai, em um comunicado.

Leia também: Alibaba entra de vez em IA e investe em startup de US$ 2,5 bilhões

Não é a primeira vez que o Alibaba desiste de um IPO. Em maio do ano passado, a companhia divulgou que listaria sua unidade de nuvem dentro de um ano. No entanto, em setembro, a empresa abandonou planos de separar seu negócio de nuvem, citando incertezas criadas pelas restrições de exportação dos EUA a chips usados em aplicações de inteligência artificial.

Durante esse processo, o Alibaba também viu uma "dança das cadeiras" com trocas de executivos em posições chave. Em junho do ano passado, o presidente e CEO Daniel Zhang renunciou para se concentrar na divisão de nuvem. Eddie Yongming Wu, presidente do Taobao e Tmall Group do Alibaba, assumiu como CEO, enquanto o vice-presidente executivo Joseph Tsai assumiu como presidente.

No entanto, em setembro, Zhang deixou o negócio de nuvem em uma jogada surpresa e Wu assumiu a unidade. Em dezembro, Wu passou a supervisionar também a unidade de comércio eletrônico doméstico, uma área central para atenção e investimento.

Em fevereiro, o presidente Tsai deu a entender que mais mudanças podem vir por aí. Ele disse a analistas que "faz sentido" sair de alguns dos negócios tradicionais de varejo físico, "mas levará tempo devido às condições de mercado desafiadoras".

Acompanhe tudo sobre:IPOsAlibaba

Mais de Invest

‘Independência financeira liberta’: Women in Finance discute gestão patrimonial para mulheres

Bancos centrais compram um quinto do ouro do mundo e querem aumentar aposta

Quina de São João: veja os números mais sorteados da história

Ibovespa sobe e recupera os 120 mil antes de decisão do Copom; dólar bate máxima em 18 meses

Mais na Exame