Ações do Grupo Pão de Açúcar saltam quase 10%; companhia nega possível venda

Papéis disparam com especulações sobre venda da empresa pelo controlador Casino e retorno de Abilio Diniz
Grupo Pão de Açúcar: empresa chama possível venda de "especulações do mercado" (Germano Lüders/Exame)
Grupo Pão de Açúcar: empresa chama possível venda de "especulações do mercado" (Germano Lüders/Exame)
Beatriz Quesada
Beatriz Quesada

Publicado em 05/09/2022 às 14:52.

Última atualização em 05/09/2022 às 18:05.

As ações do Grupo Pão de Açúcar (PCAR3) saltaram quase 10% e sobem ao maior patamar em quatro meses nesta segunda-feira, 5. Os papéis estenderam os ganhos da última sexta, quando já haviam saltado 5% em meio a uma possível mudança no comando da empresa -- posteriormente negada pelo GPA.

As especulações começaram na quinta-feira, com notícia de que o grupo francês Casino, controlador do grupo, estaria planejando sair do GPA em até dois anos. Segundo o Estado de S. Paulo, o antigo dono, Abilio Diniz, estaria se movimentando para voltar ao comando da companhia com a saída do Casino.

Na última sexta-feira, após o fechamento do mercado, o GPA comunicou, via fato relevante, “que não tem conhecimento de informações acerca de decisão de venda da Companhia pelo Casino e nem da possibilidade de uma oferta de um terceiro pela Companhia e que tais informações se tratam de meras especulações de mercado”.

Assine a EXAME e fique por dentro das principais notícias que afetam o seu bolso. Tudo por menos de R$ 0,37/dia

O grupo afirma, ainda, que não existe nenhuma novidade no negócio que justifique um aviso ao mercado. 

“No entanto, neste momento, exceto pela venda dos pontos Extra Hiper e dos estudos para segregação de Éxito mencionados na notícia e que já foram devidamente divulgados ao mercado, não existe nenhuma decisão ou processo em andamento que se configure como um fato relevante”.

Veja também