Inteligência Artificial

Google muda política para acabar com spam gerado por IA

Empresa afirma que a mudança reduzirá em 40% o "conteúdo de baixa qualidade e não original" nos resultados de busca

Google: empresa mira práticas como o "squatting de domínio" (Cesc Maymo/Getty Images)

Google: empresa mira práticas como o "squatting de domínio" (Cesc Maymo/Getty Images)

Publicado em 6 de março de 2024 às 06h43.

Última atualização em 7 de março de 2024 às 17h30.

O Google está tomando medidas contra o spam gerado algoritmicamente, anunciou a Big Tech na última terça-feira, 5. O gigante das pesquisas vai reformular sua política de spam para manter o clickbait gerado por inteligência artificial fora dos resultados de busca.

"Parece que será uma das maiores atualizações na história do Google", disse Lily Ray, diretora sênior de SEO da agência de marketing Amsive, ao site Wired. "Isso poderia mudar tudo."

Em um post no seu blog, o Google afirma que a mudança reduzirá em 40% o "conteúdo de baixa qualidade e não original" nos resultados de busca. Ela se concentrará em reduzir o que a empresa chama de "abuso de conteúdo em escala", que é quando atores mal-intencionados inundam a internet com grandes quantidades de artigos e postagens projetados para manipular os mecanismos de busca.

"Um bom exemplo disso, que existe há um tempo, é o abuso em torno do spam de obituários", diz Pandu Nayak, vice-presidente de busca do Google. O spam de obituário é um tipo especialmente sombrio de pirataria digital, onde as pessoas tentam ganhar dinheiro republicando avisos de falecimento, às vezes em plataformas sociais como o YouTube. 

Recentemente, os spammers de obituários começaram a usar ferramentas de inteligência artificial para aumentar sua produção, tornando o problema ainda pior. A nova política do Google deve dificultar que esse tipo de spam apareça nas buscas online.

Esta abordagem mais agressiva mira especificamente no "squatting de domínio", uma prática em que spammers compram sites com reconhecimento  para lucrar com suas reputações, frequentemente substituindo o jornalismo original por artigos gerados por IA projetados para manipular as classificações nos mecanismos de busca.

Esse tipo de comportamento antecede o boom da IA, mas com o aumento das ferramentas de geração de texto como o ChatGPT, tem se tornado cada vez mais fácil produzir uma infinidade de artigos para manipular as classificações do Google. De acordo com a nova política do Google, esse tipo de comportamento agora é explicitamente categorizado pela empresa como spam.

Além do "squatting de domínio", a nova política do Google também se concentrará em eliminar o "abuso de reputação", onde sites geralmente confiáveis permitem que fontes terceirizadas publiquem conteúdo patrocinado de reputação duvidosa. (O post do blog do Google descreve "análises de empréstimos pessoais em um site educacional confiável" como um exemplo.)

Enquanto as outras partes da política de spam terão aplicação imediata, o Google está dando um aviso de 60 dias antes de reprimir o abuso de reputação, para dar tempo aos sites para se alinharem.

Nayak diz que a empresa vem trabalhando nesta atualização específica desde o final do ano passado. Mais amplamente, a empresa vem trabalhando em maneiras de corrigir conteúdo de baixa qualidade na pesquisa, incluindo spam gerado por IA, desde 2022. "Estamos cientes do problema", diz Nayak. "Leva tempo para desenvolver essas mudanças efetivamente."

Acompanhe tudo sobre:GoogleInteligência artificial

Mais de Inteligência Artificial

OpenAI melhora processo de recrutamento por temer espiões chineses

A inteligência artificial consegue contar boas piadas? Pesquisadores fizeram o teste

Cofundador da OpenAI anuncia lançamento de nova empresa de IA

As ações nada óbvias que podem se beneficiar pelo boom da IA

Mais na Exame