Amazon entra na "guerra dos chatbots" com IA para empresas

Amazon Q, IA generativa com foco em empresas privadas, já está disponível em versão prévia

Adam Selipsky, CEO da AWS: empresa anunciou o lançamento do Amazon Q (Amazon/Divulgação)
Adam Selipsky, CEO da AWS: empresa anunciou o lançamento do Amazon Q (Amazon/Divulgação)
Laura Pancini
Laura Pancini

Repórter de Tecnologia e Inteligência Artificial

Publicado em 28 de novembro de 2023 às 17h09.

Última atualização em 28 de novembro de 2023 às 17h31.

LAS VEGAS, Nevada - A Amazon está oficialmente dentro da batalha que irá definir o chatbot de maior sucesso, mas ela não parece tão interessada em competir. Nesta terça-feira, 28, durante o evento "AWS re:Invent 2023", a Amazon Web Services (AWS), divisão de computação em nuvem da gigante varejista, anunciou o lançamento do Amazon Q, assistente de IA generativa que, diferentemente dos rivais do setor como Microsoft e Google, terá foco exclusivo para empresas.

Enquanto o ChatGPT tem um chatbot que pode ser usado individualmente por qualquer usuário, o Amazon Q é feito para o trabalho e opera na nuvem da AWS. "Pensa nele como um modelo de perguntas e respostas para empresas corporativas privadas, que nasceram para serem privadas", resume Américo de Paula, Líder de Arquitetura de Soluções para a América Latina. "Eu abro o Amazon Q sem expertise técnica, aponto a fonte de dados e consigo automaticamente ter as respostas que quero em minutos".

A Amazon reforça que o maior diferencial do Q em comparação com os competidores é a questão da segurança de dados. Em um momento do evento de anúncio, houve até uma cutucada aos competidores: Adam Selipsky, CEO da AWS, mostrou no telão uma matéria que destacava que a Microsoft chegou a restringir o uso do ChatGPT dentro da empresa por "questões de segurança".

Isso porque o chatbot da OpenAI armazena uma grande parte dos dados do usuário, como conversas, detalhes de localização e endereço IP. Por isso muitas empresas proíbem o uso da IA generativa -- e é desta brecha que o Amazon Q se aproveita. "Os dados são privados e exclusivos de cada cliente. O usuário do Amazon Q coloca os dados da empresa dele na própria conta e armazena essas informações da melhor forma possível", resume de Paula.

Salário maior para especialistas em IA: as apostas da Amazon para o Brasil

Como funciona na prática?

Semelhante ao ZenDesk, plataforma que já está disponível no Brasil, o Amazon Q ajuda principalmente na automatização de tarefas e análise de dados.

Uma loja do setor varejista pode rapidamente obter informações sobre estoque, número de vendas, perfil de cada consumidor e mais. Tudo através de um chatbot, fazendo perguntas em linguagem natural.

O usuário pode perguntar quais são as maiores dúvidas dos clientes ou quais produtos estão recebendo mais reclamações. Também é possível identificar documentos internos que precisam de validação, por exemplo.

O Amazon Q está disponível no Brasil?

Qualquer pessoa ou empresa tem acesso hoje ao Amazon Q, independente do país. Porém, vale ressaltar que os planos mensais são em dólares e que, segundo informações disponibilizadas via site, o Amazon Q funciona melhor para conversas e interações em inglês -- mas "pode compreender e responder em vários idiomas".

Quanto custa o Amazon Q?

Ainda em versão prévia, o Amazon Q está disponível em dois planos mensais de US$ 20 e US$ 25, respectivamente.

*A repórter viajou a convite da Amazon Web Services (AWS).

Mais de Inteligência Artificial

Mark Zuckerberg sobre o atual momento da IA: não são apenas dados

OpenAI responde Elon Musk em acusação de que abandonou proposta de ser sem fins lucrativos

O que explica a queda da Nvidia na bolsa?

Netflix parece ter usado IA em documentário de 'true crime'

Mais na Exame