Inteligência Artificial

AI Alliance: IBM e Meta se unem com outros gigantes por modelo da IA “aberto”

A iniciativa, que reúne mais de 50 empresas e institutos de pesquisa, busca fortalecer a inovação e a ciência abertas na inteligência artificial, contrastando com modelos fechados dominantes

André Lopes
André Lopes

Repórter

Publicado em 6 de dezembro de 2023 às 08h24.

Última atualização em 6 de dezembro de 2023 às 08h24.

Uma coalizão liderada pela IBM foi lançada nesta semana, reunindo mais de 50 empresas de inteligência artificial (IA) e instituições de pesquisa. A iniciativa, denominada AI Alliance, inclui membros de peso como Intel, Cornell University e a National Science Foundation. O objetivo é promover um modelo de IA aberto e colaborativo, uma alternativa ao modelo fechado que tem dominado o mercado.

A aliança defende a inovação e a ciência abertas em IA, com um forte apoio ao código aberto. Esse modelo, que promove a tecnologia compartilhada gratuitamente, tem raízes na colaboração histórica entre grandes empresas de tecnologia, acadêmicos e programadores independentes.

A IBM, em parceria com a Meta desde agosto, tem liderado esforços para reunir organizações menos destacadas comparadas à OpenAI. Segundo a empresa. há uma insatisfação com o debate atual sobre IA e a necessidade de refletir a diversidade do ecossistema que torna o momento atual da IA possível.

Desde o lançamento do ChatGPT da OpenAI, a IA generativa tem dominado o cenário tecnológico. Empresas como OpenAI, Anthropic e Cohere têm liderado no desenvolvimento de modelos avançados de IA como sistemas fechados, gerenciados por seus criadores e que exigem pagamentos para uso. Muitos membros da aliança, que possuem seus próprios produtos de IA, buscam alcançar a atenção que OpenAI e seus parceiros têm atraído.

A pesquisa da International Data Corp. indica que as empresas globais investirão quase 16 bilhões de dólares em soluções de IA generativa somente este ano, com previsões de atingir 143 bilhões até 2027. O crescimento anual composto da IA generativa será quase 13 vezes maior que o gasto global em TI no mesmo período.

A IBM agora enfatiza a importância de uma abordagem distribuída da AI Alliance, a qual considera mais resiliente, já que nenhuma instituição individual pode comprometer o sucesso do modelo aberto.

A Advanced Micro Devices (AMD) declarou seu apoio a um ecossistema de IA aberto com seu hardware, e junto com outros membros da aliança, desenvolverá software que permite às empresas utilizar seus chips. A ServiceNow, outra integrante, destacou o envolvimento de sua equipe de pesquisa em IA na aliança, trabalhando no avanço científico aberto de sistemas de IA.

Com uma empresa de hardware ao lado da iniciativa, a tentativa de ser uma alternativa ao grupo que aglomera Microsoft, OpenAI e Nvidia pode gerar bons frutos.

Acompanhe tudo sobre:MetaIBMInteligência artificial

Mais de Inteligência Artificial

O brasileiro vai se adaptar a conversar com robôs, diz head de atendimento do BB

Uso de IA já não é mais uma escolha, diz Marcelo Braga, CEO da IBM

Lenovo lança primeiros notebooks Copilot+ com chips Snapdragon X no Brasil

ChatGPT está fora do ar? IA generativa apresentou instabilidade nesta segunda, 17

Mais na Exame