Virgin Hyperloop faz 1º teste com viajantes em trem ultraveloz; veja vídeo

O objetivo da empresa é conseguir um certificado de segurança até 2025 para que as operações comerciais do Pegasus comecem em 2030

Os primeiros passageiros viajaram no trem ultrarrápido da empresa americana Virgin Hyperloop neste domingo, 8, em Las Vegas, Nevada. O teste foi o primeiro do veículo e foi feito para comprovar a segurança da cápsula de alta velocidade.

O sistema de transporte a vácuo do Hyperloop batizado de Pegasus usa uma levitação magnética para permitir uma viagem quase silenciosa. Com ele, segundo a companhia, será possível viajar de Nova York até Washington em apenas 30 minutos — duas vezes mais rápido do que um avião comercial e quatro vezes mais rápido que um trem — e de Los Angeles para São Francisco em até 45 minutos — uma viagem que, de avião, pode levar até uma hora. Tudo isso sem emitir carbono.

Aproveitar as melhores oportunidades na bolsa exige conhecimento. Venha aprender com quem conhece na EXAME Research

O primeiro trajeto com humanos do trem ultrarrápido foi feito a 172 km/h — uma velocidade baixa perto dos mais de 1000 km/h que devem ser alcançados em um futuro próximo. O diretor de tecnologia da Virgin, Josh Giegel, e a líder de experiência do usuário, Sara Luchian, foram os dois primeiros a testar o veículo futurista. Outros 400 testes sem passageiros já foram feitos para garantir que tudo estava certo antes da viagem.

Apesar de Luchian relatar a BBC que não passou por nenhum desconforto durante o trajeto, um pesquisador do Sweden’s Royal Institute of Technology afirmou que a velocidade do trem pode tornar uma viagem no Hyperloop em uma “festa de vômito” e existe uma preocupação acerca da segurança da tecnologia.

O objetivo da empresa é conseguir um certificado de segurança até 2025 para que as operações comerciais do Pegasus comecem em 2030. Segundo a agência de notícias Reuters, o Virgin Hyperloop escolheu o estado da Virgínia Ocidental para ter um centro de certificação e de testes que custará 500 milhões de dólares.

Mais de 400 milhões de dólares foram levantados para o projeto, sendo que a maior parte do investimento foi feito por Richard Branson, CEO do Virgin Group, e pela companhia de logística DP World, comandada pelo governo de Dubai.

Não é só a Virgin

Outras companhias também estão na corrida por um Hyperloop para chamar de seu. É o caso da SpaceX, do fundador da fabricante de carros Tesla, Elon Musk. Em 2013, Musk apresentou a ideia de um trem ultrarrápido que combinaria a levitação magnética com tubos de pressão baixa — da ideia do bilionário veio a fundação das empresas Hyperloop Transportation Technologies Hyperloop One.

É da Hyperloop Transportation Technologies a ideia de criar um trem do tipo no Brasil, que seria capaz de fazer o trajeto entre São Paulo e Rio de Janeiro em até 25 minutos. Em média, atualmente a viagem pode levar até 50 minutos.

A ideia do Hyperloop é reproduzir em solo as mesmas condições encontradas pelos aviões na altitude. O transporte é feito por cápsulas que viajam dentro de um tubo de baixa pressão atmosférica. No lugar de trilhos, há um sistema magnético, que faz as cápsulas flutuarem dentro dos tubos.

Sem o atrito do vento ou dos trilhos, as cápsulas alcançam velocidades que podem ultrapassar 1.000 km/h, com baixo consumo de energia. 

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 15,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Atenção! A sua revista EXAME deixa de ser quinzenal a partir da próxima edição. Produziremos uma tiragem mensal. Clique aqui para saber mais detalhes.