Com Hyundai, rede de bases para táxis aéreos planeja chegar a 65 cidades

A empresa de infraestrutura Urban-Air Port fez parceria com a montadora sul-coreana, que está desenvolvendo um veículo de pouso e decolagem vertical
 (ROBYN BECK/AFP/Getty Images)
(ROBYN BECK/AFP/Getty Images)
C
Christopher Jasper, BloombergPublicado em 18/09/2021 às 13:00.

Uma rede de bases para táxis aéreos planeja alcançar 65 cidades por meio de uma parceria entre a empresa de infraestrutura Urban-Air Port e a montadora sul-coreana Hyundai, que está desenvolvendo um veículo de pouso e decolagem vertical.

As bases estão planejadas no Reino Unido, Estados Unidos, França, Alemanha, Escandinávia, Austrália, Coreia do Sul e Sudeste Asiático, disseram as empresas em comunicado na quinta-feira. Uma primeira base em Coventry, Inglaterra, deve ser inaugurada no início de 2022.

A Urban-Air Port afirma ser a única empresa focada exclusivamente na construção de redes para operar táxis aéreos e drones de carga. Só neste ano, US$ 150 milhões foram gastos em infraestrutura física em comparação com US$ 5 bilhões investidos em veículos elétricos de pouso e decolagem vertical (eVTOLs, na sigla em inglês) por startups como Joby Aviation e Lilium.

“O setor está em alta e sabemos que um futuro com veículos elétricos aéreos e drones nas cidades será realidade em breve, mas não pode acontecer se não tivermos a infraestrutura terrestre e aérea”, disse no comunicado o fundador e presidente executivo do conselho da Urban-Air Port, Ricky Sandhu.

Depois da base em Coventry, os próximos centros serão em outra cidade na região central da Inglaterra e em Los Angeles, disse um porta-voz da empresa com sede no Reino Unido. O hub de Londres será construído em alguma área no distrito de varejo West End ou no centro financeiro da cidade, disse.

A Urban-Air Port planeja estabelecer uma rede de mais de 200 instalações de mobilidade elétrica aérea no mundo todo nos próximos cinco anos. Os hubs serão modulares e projetados para se encaixar em áreas urbanas densas e em locais mais remotos, onde o carregamento será fornecido usando células a combustível de hidrogênio.

A base de Coventry, que será chamada de Air-One, terá drones da Malloy Aeronautics e SkyFarer operando rotas para demonstrar a viabilidade de transportar cargas, como suprimentos médicos refrigerados. Enquanto isso, a Safeguard Vertiports desenvolverá um programa de certificação que atenda aos padrões do Reino Unido.

  • Não perca as últimas tendências do mercado de tecnologia. Assine a EXAME.