Future of Money

Solana está 'liderando a batalha' na área de pagamentos em blockchain, diz gestora bilionária

Bernstein avalia em relatório que blockchain tem superado concorrentes, mas ainda possui desafios para enfrentar

Solana valorizou mais de 800% em 2023 (Getty/Getty Images)

Solana valorizou mais de 800% em 2023 (Getty/Getty Images)

Da Redação
Da Redação

Redação Exame

Publicado em 9 de abril de 2024 às 16h25.

Última atualização em 9 de abril de 2024 às 16h43.

A gestora Bernstein, que possui mais de US$ 725 bilhões em ativos sob gestão, afirmou recentemente que a Solana está "liderando a batalha" no segmento de pagamentos com tecnologia blockchain. Em relatório, analistas da empresa destacaram uma série de métricas positivas que mostram um crescimento da rede na área.

O relatório aponta que a Solana tem registrado um crescimento de liquidez no mercado e se beneficiado de um sentimento mais positivo entre os investidores. Ao mesmo tempo, a rede ainda precisa enfrentar alguns desafios que podem ameaçar sua posição no curto e médio prazo, em especial na área de escalabilidade.

Para os analistas, "a maior mudança neste ciclo tem sido a fatia de mercado dominante da Solana (de 43%) no valor transferido usando stablecoins contra a líder do ciclo anterior, a Ethereum". Os dados mostram que o blockchain conseguiu assumir a primeira posição no segmento.

A Bernstein avalia que a mudança está ligada a uma facilidade maior de uso da Solana, que não demanda uma integração com redes de segunda camada como a Ethereum, permitindo transferências mais rápidas para corretoras e também custos menores de transações com stablecoins criadas na rede.

Os dados do Bernstein aponta que a liderança da Solana é recente. Até poucos meses, o mercado era menos concentrado, com um amplo conjunto de redes. A partir de novembro de 2023, porém, a Solana iniciou um movimento de expansão, culminando no pico de 43% de fatia de mercado do blockchain em fevereiro.

Por outro lado, a plataforma The Block destacou que a quantidade de stablecoins emitidas diretamente na Solana ainda é "muito menor" que as da Ethereum. É o caso da stablecoin USDC, que possui uma oferta de US$ 2,2 bilhões gerada na Solana, ante US$ 26,4 bilhões na Ethereum.

Os analistas do Bernstein pontuaram também que a Solana ainda não conseguiu ampliar sua adoção no segmento de B2B ou entre consumidores mais populares. O principal desafio, porém, ainda está na escalabilidade do blockchain, que poderá ser testada em breve.

Em relação ao segmento de stablecoins como um todo, o Bernstein pontua que "com a melhoria do sentimento do mercado cripto no final de 2023 até o momento, as stablecoins em circulação estão de volta ao caminho de crescimento e a oferta circulante atualmente é de US$ 150 bilhões", com um cenário favorável no curto prazo.

Siga o Future of Money nas redes sociais: Instagram | Twitter | YouTube Telegram | TikTok

Acompanhe tudo sobre:CriptoativosCriptomoedasBlockchain

Mais de Future of Money

Investidores institucionais não acreditam em alta do bitcoin no curto prazo, aponta relatório

Dolce & Gabbana é processada nos EUA após problemas em coleção de NFTs

Ethereum pode "surpreender" investidores e voltar a disparar, afirma Coinbase

Projeto vencedor de hackathon na Ethereum Rio une blockchain e IA para melhorar o sistema carcerário

Mais na Exame