"Pobre de novo", diz CEO da Binance sobre perda de US$ 1,6 bilhão em LUNA

Fundador da maior corretora cripto do mundo faz piada sobre desvalorização de investimento milionário da Binance em criptomoeda que entrou em colapso e caiu 99,9999%
Apesar de perda considerável com a criptomoeda LUNA, CZ ainda é o homem mais rico do mercado cripto (Bloomberg/Getty Images)
Apesar de perda considerável com a criptomoeda LUNA, CZ ainda é o homem mais rico do mercado cripto (Bloomberg/Getty Images)
Por Gabriel RubinsteinnPublicado em 19/05/2022 12:02 | Última atualização em 19/05/2022 12:02Tempo de Leitura: 3 min de leitura

"Pobre de novo". Foi assim que o fundador da Binance, Changpeng Zhao, conhecido como CZ e apontado pela Bloomberg como um dos 20 homens mais ricos do mundo no final de 2021, se manifestou sobre a notícia de que teria perdido US$ 1,7 bilhão após o colapso da criptomoeda LUNA.

(Mynt/Divulgação)

Segundo o prório CZ, a Binance tinha 15 milhões de tokens LUNA, que foram recebidos após o investimento de US$ 3 milhões da corretora no protocolo Terra, onde a criptomoeda circula, em 2018. Esses tokens "nunca foram movimentados ou vendidos", disse CZ nas redes sociais.

Com o crescimento do blockchain Terra e a supervalorização da LUNA, que atingiram a marca de US$ 119 em abril, os 15 milhões de tokens da corretora chegaram a valer US$ 1,785 bilhão. Hoje, com uma queda acumulada de 99,9999% e a criptomoeda cotada a US$ 0,00013, equivalem a menos de US$ 2.000.

A publicação de CZ sobre a desvalorização do ativo (acima), claro, acontece em tom de brincadeira, já que ele continua com uma fortuna bilionária, estimada em US$ 17,4 bilhões pela Forbes e em US$ 14,8 bilhões pela Bloomberg. Ao mesmo tempo, mesmo com o colapso da LUNA, a Binance segue como uma das maiores corretoras cripto do mundo, movimentando bilhões de dólares todos os dias e arrecadando volumes estratosféricos de dinheiro em taxas.

Além disso, apesar de chegar chegado a valer quase US$ 2 bilhões, a posição da empresa em tokens LUNA custou US$ 3 milhões, um valor quase insignificante para uma empresa deste porte - segundo a Forbes, a Binance, da qual CZ tem 70% de participação, vale pelo menos seis vezes mais do que sua principal concorrente, a Coinbase, que tem ações negociadas em bolsa e é avaliada em US$ 17,7 bilhões.

Apesar disso, CZ se manifestou diversas vezes sobre o colapso do protocolo Terra e dos seus tokens LUNA e UST. Primeiro, demonstrou insatisfação sobre a forma como os responsáveis pelo projeto conduziram a crise, dizendo-se "muito decepcionado". Depois, afirmou que o projeto deveria "liderar pelo exemplo" e reembolsar os investidores que ficaram no prejuízo, começando pelo varejo e, claro, terminando com a própria Binance.

Siga o Future of Money nas redes sociais: Instagram | Twitter | YouTube | Telegram | Tik Tok