Acompanhe:

O PicPay, um dos gigantes de pagamentos digitais do Brasil, optou por pausar sua operação com criptomoedas diante da indefinição regulatória do setor no país e uma baixa adesão entre usuários. A decisão, segundo a companhia, não vai impactar na participação da empresa nos testes do piloto do Drex.

“Nada muda em relação à nossa crença na tecnologia como infraestrutura, e continuamos disponíveis para atuar, junto ao Banco Central, para impulsionar e popularizar esse mercado no Brasil”, destaca Anderson Chamon, vice-presidente de Produtos e Tech do PicPay.

Chamon explica que, após a companhia ter testado o mercado sob a regulação atual, decidiu por retomar a atuação “quando houver mais clareza sobre o tema”. O PicPay lançou uma corretora em agosto do ano passado e chegou a ultrapassar um milhão de usuários em apenas cinco meses.

Daniel Mandil, executivo responsável pela operação, reforça que a decisão se trata de uma pausa estratégica: “Apesar dos avanços regulatórios recentes, a definição do arcabouço legal até o momento está em aberto. Observamos que uma incerteza similar também acontece em outros países, que ainda buscam modelos definitivos. Esse cenário nos levou a essa decisão”.

A pausa também permitirá à companhia direcionar os esforços do time para a evolução do seu ecossistema, com foco em ampliar o portfólio de produtos e serviços que facilitem a vida financeira dos usuários.

“Criptomoedas em geral representam um percentual pequeno da carteira de cada investidor, então há um mundo que podemos explorar com outras aplicações que complementem a experiência do app e aumentem o valor para o cliente”, conclui Mandil.

O que fazer com criptomoedas no PicPay?

A comunicação aos usuários sobre a pausa foi feita na última sexta-feira, 20, com todos os detalhes sobre os próximos passos. A partir desta segunda-feira, 23, já não é mais possível comprar bitcoins e outras criptomoedas pelo app do PicPay.

Os usuários que têm saldo em criptomoedas no PicPay podem liquidar seus tokens, sem taxas, até o dia 11 de dezembro. Aqueles que desejarem manter os ativos terão a opção de fazer a portabilidade para a Foxbit, corretora especializada em criptoativos. Para isso, basta manifestar o interesse a partir de 30 de outubro na área de cripto do app do PicPay.

Também na semana passada, a Xtage, corretora de criptomoedas lançada pela XP Investimentos em agosto de 2022, anunciou o encerramento de suas atividades. Criada em 15 de agosto de 2022, a Xtage tinha a ambição de atingir 200 mil usuários ativos até o fim do mesmo ano. Meses depois, porém, suas atividades foram encerradas.

Siga o Future of Money nas redes sociais: Instagram | Twitter | YouTube Telegram | Tik Tok

Créditos

Últimas Notícias

Ver mais
B3 vai lançar corretora de criptomoedas para investidores institucionais
Future of Money

B3 vai lançar corretora de criptomoedas para investidores institucionais

Há 18 horas

Usuário desconhecido movimenta bitcoins parados há 14 anos e tem lucro de R$ 15 milhões
Future of Money

Usuário desconhecido movimenta bitcoins parados há 14 anos e tem lucro de R$ 15 milhões

Há 20 horas

Bitcoin e principais criptos sobem após “turbulência” com conflitos geopolíticos em Israel
Future of Money

Bitcoin e principais criptos sobem após “turbulência” com conflitos geopolíticos em Israel

Há 22 horas

Solana lança atualização para resolver problemas de congestionamento na rede
Future of Money

Solana lança atualização para resolver problemas de congestionamento na rede

Há 23 horas

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais