Future of Money

Maior corretora cripto dos EUA diz que investidores vão "agressivamente" comprar bitcoin

Coinbase avalia que o interesse por criptomoedas vai continuar nos próximos meses de 2024, com impulso de investidores institucionais

Coinbase é a maior corretora de criptomoedas dos EUA (Michael Nagle/Getty Images)

Coinbase é a maior corretora de criptomoedas dos EUA (Michael Nagle/Getty Images)

João Pedro Malar
João Pedro Malar

Repórter do Future of Money

Publicado em 8 de abril de 2024 às 17h45.

Última atualização em 8 de abril de 2024 às 18h09.

A corretora de criptomoedas Coinbase, a maior dos Estados Unidos, acredita que o ciclo de alta atual do bitcoin não apenas continuará como vai ganhar ainda mais força nos próprios meses. A exchange espera que os investidores comprem o ativo "mais agressivamente", impulsionados pelos investidores institucionais.

Em um relatório divulgado na última sexta-feira, 5, a Coinbase avalia que "a crescente aceitação do bitcoin como forma de 'ouro digital' poderia permitir a procura de um novo subconjunto de investidores neste regime de mercado", com destaque para os chamados investidores institucionais.

"Como resultado, acreditamos que as quedas [de preço da criptomoeda] provavelmente resultarão em compras de forma mais agressiva em comparação com os ciclos anteriores, mesmo que a volatilidade persista durante o período de descoberta de teto de preços", explica a Coinbase.

Na visão da corretora, esse movimento de alta está ligado principalmente ao lançamento de ETFs de preço à vista do bitcoin nos Estados Unidos, que resultaram em uma maior oferta de capital para o ativo que, se for mantida, também tende a reduzir a volatilidade de preço da criptomoeda.

A Coinbase destaca que "o impacto destes ETFs e o maior fluxo de procura institucional podem ser vistos nos contratos em aberto de futuros de bitcoin, que podem ser utilizados como instrumentos de cobertura". Atualmente, os futuros negociados na bolsa de Chicago atingiram US$ 9,9 bilhões, superando "qualquer corretora descentralizada".

"Na nossa opinião, o capital desbloqueado pelos ETFs talvez represente a mudança mais fundamental na estrutura do mercado entre o ciclo anterior de 2020 e 2021 e o atual", avalia a exchange. Nesse sentido, a Coinbase espera que a performance da criptomoeda seja ainda melhor.

Além dos ETFs, a corretora de criptomoedas espera que o halving do bitcoin também influencie nos preços do ativo. Em um artigo exclusivo para a EXAME, o líder da Coinbase na América Latina compartilhou a visão da exchange sobre o futuro do ativo nos próximos meses.

Por outro lado, o relatório da corretora avalia que, na última semana, a criptomoeda foi prejudicada por um cenário macroeconômico ainda incerto nos Estados Unidos, em especial sobre o futuro da taxa de juro do país, um tema que ainda deverá influenciar no preço do bitcoin no curto prazo.

Siga o Future of Money nas redes sociais: Instagram | Twitter | YouTube Telegram | TikTok

Acompanhe tudo sobre:CriptoativosCriptomoedasBitcoin

Mais de Future of Money

"Criptomoedas de IA" se destacam com alta apesar de queda no mercado cripto

Aptos, criptomoeda que despencou 47,3%, lidera quedas em abril; veja o ranking completo

Opositor de Putin vai usar blockchain para fazer referendo sobre presidente da Rússia

Conhecimento em cripto será diferencial para empregos no futuro? Entenda

Mais na Exame