Future of Money

Halving do bitcoin: qual é o impacto para os investidores?

O que é exatamente o halving? Como ele funciona? Quais seus efeitos práticos para o mercado? Entenda

 (Reprodução/Reprodução)

(Reprodução/Reprodução)

Da Redação
Da Redação

Redação Exame

Publicado em 8 de abril de 2024 às 09h30.

Última atualização em 8 de abril de 2024 às 09h33.

Por Fábio Plein*

Em abril, teremos um episódio importante e definidor no mercado de criptoativos: o quarto halving do bitcoin, evento cíclico e programado para acontecer desde a consolidação da criptomoeda em 2009 e que traz consigo uma série de efeitos que impactam não somente o mercado cripto em si, mas que também gera dúvidas em investidores sobre seu funcionamento e consequências, sobretudo entre os recém-chegados nesse universo.

O que é exatamente o halving? Como ele funciona? Quais seus efeitos práticos para o mercado? Eu como investidor devo me preparar para tomar determinadas medidas? Abordarei essas e outras dúvidas pertinentes a seguir.

  • O JEITO FÁCIL E SEGURO DE INVESTIR EM CRYPTO. Na Mynt você negocia em poucos cliques e com a segurança de uma empresa BTG Pactual. Compre as maiores cryptos do mundo em minutos direto pelo app. Clique aqui para abrir sua conta gratuita.

Halving, o que é?

Conforme dito anteriormente, o halving é um evento cíclico programado para ocorrer a cada 210 mil blocos minerados. Não existe uma data ou hora pré-determinados para que ele aconteça, porém o intervalo normalmente ocorre em um período de tempo de 4 anos, aproximadamente.

Esse ano, as estimativas preveem que ele será em meados de abril. O halving reduz pela metade a emissão de bitcoins por blocos minerados no blockchain, com o objetivo de gerar uma escassez generalizada da criptomoeda e controlar uma eventual inflação do ativo.

Em paralelo com o sistema financeiro tradicional, Bancos Centrais do mundo todo normalmente controlam as emissões de suas moedas com base na atividade econômica. Uma eventual crise econômica agravada por um cenário político instável pode levar à deflação ou hiperinflação que podem fugir do controle.

Com o bitcoin, esse risco é menor, uma vez que sua política monetária é previsível, elaborada com base em um código de computador, já que se trata de um ativo totalmente digital.

Atualmente a recompensa paga aos mineradores por bloco minerado está em 6.25 BTC e após o halving 2024, esse número será cortado pela metade, indo para 3,125 BTC. No desenvolvimento do bitcoin, em 2009, estipulou-se que a emissão da moeda digital não poderia ultrapassar 21 milhões de unidades, algo previsto para acontecer somente no ano de 2140, quando o último bitcoin será minerado. A partir daí, a recompensa aos mineradores em bitcoins será zerada e a emissão de novas unidades definitivamente interrompida.

Reflexos no mercado

Antes de mais nada, é importante destacar que existe uma correlação histórica entre o halving e o preço do bitcoin. Por ser um evento que corta a emissão da criptomoeda pela metade, é natural que seu preço suba consideravelmente nos primeiros seis meses após o halving. Tais comportamentos foram observados em 2012, 2017 e 2020, entretanto, é necessário ressaltar que tal correlação não implica causa, e que outros fatores também podem impactar o preço do bitcoin.

Em novembro de 2021, por exemplo, o bitcoin atingiu sua máxima histórica, chegando a valer mais de US$68 mil a unidade, impulsionado não somente pelo halving ocorrido no ano anterior, como também por uma desconfiança global em torno do sistema financeiro convencional, impulsionada pela pandemia de Covid-19.

Olhando para o histórico, o preço do bitcoin normalmente ultrapassa sua antiga máxima após o halving e há margem para que isso se repita em 2024, segundo o Blockchain Reporter, com a criptomoeda podendo alcançar até US$70 mil.

De qualquer forma, há de se destacar que o mercado vive um bom momento com a recente aprovação de 11 ETFs de bitcoin pela Security Exchange Commission, órgão regulador do mercado financeiro dos Estados Unidos, os quais a Coinbase é responsável pela custódia de 8. A nova modalidade de investimento é uma possibilidade a mais que investidores individuais e institucionais têm à disposição para investirem no mercado e consequentemente aumentarem a liquidez do ativo.

Halving sob o ponto de vista dos investidores

Você investidor individual que possui bitcoins deve estar se perguntando se o halving acarretará riscos, e se alguma ação prévia é recomendada. A resposta curta seria não. O halving em si não é um evento que causa preocupação, porém é esperado um comportamento especulativo maior no mercado em dias que o antecedem, causando um aumento da volatilidade e podendo também ocasionar correções no preço do bitcoin, caso certas expectativas não sejam atingidas.

De qualquer forma, é de vital importância se atentar muito bem antes de optar por qualquer decisão de investimento durante o evento.

Para investidores institucionais, o halving pode marcar uma boa oportunidade impulsionado pelo provável aumento no valor do bitcoin e encorajar a adoção de uma estratégia de investimento a longo prazo.

De forma geral, o halving é um evento importante e que gera impactos positivos, contribuindo não somente para o controle de escassez do bitcoin mas proporcionando também o incentivo a inovação da mineração, o que contribui positivamente para a sustentabilidade e viabilidade de longo-termo do ecossistema da criptomoeda.

Demais reflexos no mercado

O halving também é um evento que traz impactos não somente no preço do bitcoin em si como também em atores de vital importância para o funcionamento do ecossistema cripto, como os mineradores. Ainda que o halving seja um catalisador para novos investimentos em mineração, como a recompensa por blocos minerados é cortada pela metade, muitos deles se veem em situações onde o custo da mineração de bitcoin não é mais tão lucrativo, a ponto de encerrarem suas atividades.

Entre os principais custos, estão a energia utilizada para manter as máquinas funcionando 24/7 e o investimento em tecnologia, para validar os blocos das transações do bitcoin.

Isso significa que chegaremos a um ponto em que não existirá mais mineradores? Não exatamente, porque a operação ainda pode ser muito rentável a depender do preço da criptomoeda, então no fim das contas, trata-se de um ajuste de equilíbrio entre custo e retorno.

Para além dos efeitos mais convencionais, períodos de halving também são importantes por impulsionarem o engajamento educacional da comunidade cripto, seja para investidores mais habituados ou recém-chegados, ao gerar discussões e debates sobre os principais fundamentos da criptomoeda, da tecnologia por trás do funcionamento do blockchain e do aperfeiçoamento do mercado.

*Fábio Plein é Diretor Regional da Coinbase Américas, corretora de criptomoedas.

O JEITO FÁCIL E SEGURO DE INVESTIR EM CRYPTO. Na Mynt você negocia em poucos cliques e com a segurança de uma empresa BTG Pactual. Compre as maiores cryptos do mundo em minutos direto pelo app. Clique aqui para abrir sua conta gratuita.

Siga o Future of Money nas redes sociais: Instagram | Twitter | YouTube Telegram | Tik Tok  

Acompanhe tudo sobre:CriptomoedasCriptoativosBitcoinBlockchain

Mais de Future of Money

Ether dispara mais de 10% após Bloomberg reverter posição e projetar aprovação de ETFs

Genesis anuncia R$ 15 bilhões para ressarcir clientes prejudicados por falência

Brasileiros investem R$ 9,1 milhões nos fundos de criptomoedas em semana de reação global

Banco Central revela próximos passos da regulação de criptomoedas; veja o que esperar

Mais na Exame