Future of Money

Volume de negociação no mercado cripto ronda US$ 4 trilhões com liquidez maior

Relatório aponta que movimentações no setor superaram em quatro vezes o valor total do mercado

Movimentação no mercado de criptomoedas aumentou em março (Reprodução/Reprodução)

Movimentação no mercado de criptomoedas aumentou em março (Reprodução/Reprodução)

Da Redação
Da Redação

Redação Exame

Publicado em 7 de abril de 2023 às 10h00.

O mês de março foi marcado por uma forte recuperação das criptomoedas, e isso também se refletiu em um aumento da liquidez no setor. Um relatório da empresa CCData aponta que US$ 3,81 trilhões foram movimentados pelo segmento no último mês.

O valor representa uma alta de 10,8% em relação a fevereiro deste ano. Além disso, ele é quatro vezes maior que o próprio valor total do mercado cripto, que atualmente é de cerca de US$ 1,04 trilhão. O volume de negociação também foi o maior registrado pelo levantamento desde setembro de 2022.

De acordo com o levantamento, US$ 2,77 trilhões desse total foram em negociações de derivativos, ou seja, apostas nos preços futuros de determinadas criptomoedas. A categoria teve uma alta de 32,6% e também estabeleceu um novo recorde histórico de participação de mercado, de 72,7%, superando os 69% de fevereiro.

Na divisão por corretoras, a Binance segue tendo uma dominância, respondendo por US$ 1,77 trilhão de todo o valor movimentado em março. O número representou um aumento de 33,9% ante fevereiro, mas a exchange perdeu espaço para concorrentes, segundo outro levantamento.

O segundo lugar em volume de negociação ficou com a corretora de criptomoedas OKX. Ela foi responsável por US$ 427 bilhões de todas as movimentações no mercado e registrou uma alta de 38,4% na comparação com fevereiro de 2023.

A CCData destaca que aplica "mais filtros para garantir que todos os volumes relatados sejam tão verdadeiramente representativos do ecossistema de mercado quanto possível", entretanto, não há como ter uma precisão completa ao determinar esses dados devido à descentralização do mercado.

Alta das criptomoedas

Especialistas apontam que a valorização das criptomoedas em março e no primeiro trimestre deste ano está ligada à mudança de perspectiva do mercado quanto ao ciclo de alta de juros nos Estados Unidos. Os investidores passaram a projetar uma postura mais branda do Federal Reserve  reforçada após as recentes falências bancárias , com altas menores e possíveis cortes já no segundo semestre. 

O cenário favorece ativos considerados mais arriscados, caso das criptos, já que torna a renda fixa americana menos atrativa e reduz temores sobre uma possível recessão na maior economia do mundo. Além disso, outros analistas apontam mais motivos que podem estar ajudando o mercado cripto.

No caso do bitcoin, eles argumentam que a crise no sistema bancário reforça a tese da criptomoeda, que surgiu como uma alternativa descentralizada no sistema financeiro, e por isso está atraindo investidores, fortalecendo a ideia de que o bitcoin seria um "ouro digital".

O JEITO FÁCIL E SEGURO DE INVESTIR EM CRYPTO. Na Mynt você negocia em poucos cliques e com a segurança de uma empresa BTG Pactual. Compre as maiores cryptos do mundo em minutos direto pelo app. Clique aqui para abrir sua conta gratuita.

Siga o Future of Money nas redes sociais: Instagram | Twitter | YouTube | Telegram | TikTok

Acompanhe tudo sobre:CriptomoedasCriptoativos

Mais de Future of Money

Análise: após decisão monetária do Fed, bitcoin segue em tendência de alta

Investir em bitcoin é a “forma mais fácil de ficar milionário”, diz autor de Pai Rico, Pai Pobre

Trump se apresenta como "criptopresidente" e diz que quer "bitcoin feito nos EUA"

Bitcoin dispara após divulgação do CPI: há esperanças para corte nos juros nos EUA?

Mais na Exame