Future of Money

ETFs de bitcoin superam marca de R$ 1 trilhão em volume negociado

Lançados nos Estados Unidos em janeiro deste ano, grupo de fundos da criptomoeda tem batido recordes de investimentos

ETFs de bitcoin foram aprovados pela SEC em 2024 (Reprodução/Reprodução)

ETFs de bitcoin foram aprovados pela SEC em 2024 (Reprodução/Reprodução)

Da Redação
Da Redação

Redação Exame

Publicado em 10 de abril de 2024 às 16h59.

Última atualização em 10 de abril de 2024 às 17h12.

Os ETFs de bitcoin atingiram nesta semana mais uma marca importante: os fundos negociados em bolsa de preço à vista da criptomoeda superaram US$ 200 bilhões (R$ 1 trilhão, na cotação atual) em volume movimentado por investidores. O novo recorde foi atingido em menos de três meses desde a aprovação e estreia nos Estados Unidos, em 11 de janeiro deste ano.

Dados reunidos pela plataforma The Block apontam que, apenas entre março e os primeiros dias de abril, o volume negociado nos ETFs praticamente dobrou, passando de US$ 100 bilhões em 8 de março para US$ 201 bilhões na última terça-feira, 9, indicando um alto volume de investimentos nos últimos dias.

Apenas na última terça-feira, o volume negociado nos ETFs de bitcoin foi de US$ 2,9 bilhões, mas com uma cifra inferior à observada no pico de negociação diária dos fundos, que foi atingido em 5 de março. Naquele dia, foram movimentados US$ 9,9 bilhões entre os fundos.

Entretanto, o volume negociado não representa o total investido nos ETFs. Na prática, ele é a subtração do volume investido pelo volume retirado por investidores. Por isso, uma parte do valor de US$ 200 bilhões representa, na verdade, uma saída de capital, em especial do ETF da Grayscale.

Os dados da The Block apontam que o ETF de bitcoin da BlackRock é o líder do segmento em termos de investimentos captados, seguido do ETF da Fidelity e da Ark Invest. Já o da Grayscale concentra os volumes perdidos do segmento, e os outros registram aportes, mas em menor quantidade.

A expectativa antes do lançamento dos ETFs já era que a BlackRock teria uma participação importante no segmento por ser a maior gestora do mundo em termos de ativos sob gestão. Recentemente, o fundo da BlackRock atingiu uma marca de 50% de fatia de mercado entre todos os ETFs lançados em janeiro, mas tem oscilado entre 45% e 50% desde então.

Apenas no mês de março, os ETFs de bitcoin triplicaram o volume negociado na comparação com os meses de janeiro e fevereiro, movimentando um total de US$ 111 bilhões.

Em janeiro, primeiro mês de negociação dos ETFs, o volume total negociado nessa categoria superou a casa dos US$ 30 bilhões. Em fevereiro, os ETFs de bitcoin somaram US$ 40 bilhões em volume negociado.

"Embora todos os ETFs de bitcoin tenham vencido em termos de terem um sucesso de lucratividade, o fundo da BlackRock venceu a corrida de volume e é oficialmente o $GLD do bitcoin", comentou o analista da Bloomberg, fazendo referência ao ETF de ouro líder do segmento.

Siga o Future of Money nas redes sociais: Instagram | Twitter | YouTube Telegram | TikTok

Acompanhe tudo sobre:ETFsCriptomoedasBitcoin

Mais de Future of Money

Investidores institucionais não acreditam em alta do bitcoin no curto prazo, aponta relatório

Dolce & Gabbana é processada nos EUA após problemas em coleção de NFTs

Ethereum pode "surpreender" investidores e voltar a disparar, afirma Coinbase

Projeto vencedor de hackathon na Ethereum Rio une blockchain e IA para melhorar o sistema carcerário

Mais na Exame