Future of Money

Time da NBA vai oferecer pagamento de salário em bitcoin para jogadores

Time de basquete que já aceitava bitcoin como forma de pagamento em suas lojas oficiais vai oferecer a criptomoeda para pagamento de salários

Loja da NBA, liga americana de basquete, na Quinta Avenida: pandemia fez vendas nas lojas físicas despencarem (Amir Hamja/Bloomberg)

Loja da NBA, liga americana de basquete, na Quinta Avenida: pandemia fez vendas nas lojas físicas despencarem (Amir Hamja/Bloomberg)

Acompanhando as mudanças no mercado financeiro internacional, o Sacramento Kings, da liga norte-americana de basquete, a NBA, irá disponibilizar a seus jogadores e funcionários a opção de receber seus salários em bitcoin.

Em uma sessão pública no aplicativo Clubhouse, Vivek Ranadivé, CEO do Sacramento Kings anunciou a novidade, que deve ser colocada em prática em breve: "Todos terão essa possibilidade, inclusive os jogadores. Poderão receber o quanto quiserem de seus pagamentos em bitcoin".

Apesar de ser uma grande novidade para o time e para o esporte, esse não é o primeiro contato da equipe com a criptomoeda. Em 2014, o Sacramento Kings começou a aceitar pagamentos feitos com bitcoin em suas lojas oficiais e, em 2018, através de uma parceria com a Mining Store, instalaram máquinas para minerar ethereum no ginásio Golden 1 Center, buscando arrecadar fundos para fortalecer comunidades locais e melhorar a educação tecnológica da cidade.

Além disso, em 2019 o Sacramento Kings lançou um programa de recompensas para seus fãs baseado em blockchain. O time lançou o "King Token", que é obtido por torcedores que interagem com o time através de seu jogo de apostas exclusivo, o "Call The Shot". Durante a temporada, a Blockparty, responsável por desenvolver e implementar o sistema acompanha essas atividades e converte as interações em tokens, que apesar de não terem valor monetário, podem ser utilizados para comprar ingressos para jogos e produtos do time de Sacramento.

A mudança proposta pelo Sacramento Kings é mais um exemplo de que o uso do bitcoin como meio de pagamento está se tornando cada vez mais comum. Recentemente, a Tesla também anunciou que passaria a aceitar bitcoin como forma de pagamento. A opção de pagamento já está disponível para moradores dos EUA, que já podem comprar carros da montadora utilizando a criptomoeda.

No curso Decifrando as Criptomoedas" da EXAME Academy, Nicholas Sacchi, head de criptoativos da EXAME, mergulha no universo de criptoativos, com o objetivo de desmistificar e trazer clareza sobre o funcionamento. Confira.

 

 

 

 

Acompanhe tudo sobre:BasqueteBitcoinBlockchainEsportesNBA

Mais de Future of Money

Por que as marcas não podem ignorar o blockchain: a transformação da interação com o consumidor

A solução para as barreiras de liquidez global nos investimentos

Investidores institucionais não acreditam em alta do bitcoin no curto prazo, aponta relatório

Dolce & Gabbana é processada nos EUA após problemas em coleção de NFTs

Mais na Exame