Blockchain criado pela Binance sofre ataque e hackers furtam US$ 570 milhões

Segundo o comunicado da exchange, a operação do blockchain será afetada por aproximadamente oito horas por causa do ataque hacker
BNB Chain, rede criada pela Binance, foi vítima de furto milionário na última madrugada (Reprodução/Unsplash)
BNB Chain, rede criada pela Binance, foi vítima de furto milionário na última madrugada (Reprodução/Unsplash)
Carlo Cauti
Carlo Cauti

Publicado em 07/10/2022 às 08:59.

Última atualização em 07/10/2022 às 10:55.

A Binance, maior exchange de criptoativos do mundo, informou nesta sexta-feira, 7, que a rede BNB Chain sofreu um ataque hacker que acabou furtando pelo menos US$ 570 milhões em tokens BNB.

Segundo o comunicado da exchange, a operação do blockchain será afetada por aproximadamente oito horas por causa do ataque hacker, que teve como alvo o BSC Token Hub, uma ponte entre dois sistemas da rede.

A primeira estimativa do furto indicava um prejuízo de US$ 100 milhões, mas ao longo das últimas horas esse valor mais do que quintuplicou.

Em uma série de postagens nas mídias sociais, Changpeng Zhao, fundador e CEO da Binance, informou que “uma exploração em uma ponte de cadeia cruzada, BSC Token Hub, resultou em BNB extra. Pedimos a todos os validadores que suspendam temporariamente o BSC”.

O ataque não afeta as operações, carteiras ou quaisquer sistemas da corretora: “A questão está contida. Seus recursos estão seguros. Pedimos desculpas pelo inconveniente e forneceremos mais atualizações em seguida", concluiu CZ, como é conhecido.

A rede BNB Chain, originalmente conhecida como Binance Chain, foi desenvolvida pela Binance em 2019. Assim como outros blockchains, ele possui um token nativo, chamado BNB, que sustenta as transações na rede e pode ser negociado livremente, além de ser usado como moeda em jogos e outros aplicativos da rede e oferecer vantagens para os usuários da Binance que os detêm em carteira.

O hacker explorou uma fraqueza dos tokens BNB e com isso conseguido realizar o furto.

Muitos dos blockchains mais usados ​​no mundo , como Bitcoin, BNB Chain ou Ethereum, são executados de forma totalmente independentes, com tokens nativos diferentes. Isso significa que os sistemas são apartados, e uma falha, vulnerabilidade, hack ou transação em uma determinada rede não afeta ou se reflete em outras.

Série de ataques hackers furtaram milhões em 2022

Esse é mais um ataque de hackers contra exchanges realizados em 2022. Segundo dados da Chainalysis, piratas informáticos levaram quase US$ 2 bilhões este ano até o final de julho, quase o dobro do total nos primeiros sete meses do ano passado.

Entre os casos mais famosos, está o furto de US$ 600 milhões do blockchain da popular plataforma de jogos de criptografia Axie Infinity. Muitos ataques foram atribuídos a grupos patrocinados pela Coreia do Norte, que utilizaria esses instrumentos para se financiar.

A indústria de criptomoedas está enfrentando um ano difícil, com cerca de US$ 2 trilhões em valor que foram "queimados" por causa da forte baixa nas cotações.

A implosão da stablecoin Terra-Luna - que gerou um prejuízo de US$ 60 bilhões - e um ambiente macroeconômico cada vez mais desafiador impactaram duramente o sentimento do mercado me relação aos criptoativos.

Siga o Future of Money nas redes sociais: Instagram | Twitter | YouTube | Telegram | Tik Tok