Acompanhe:

Em novembro, o mercado de criptomoedas foi surpreendido pelo anúncio de que a Binance aceitou pagar uma multa de US$ 4,3 bilhões (cerca de R$ 21 bilhões, na cotação atual) para evitar punições do governo dos Estados Unidos por violar leis contra lavagem de dinheiro. Entretanto, o caso pode ter criado uma oportunidade para outras exchanges.

É o que avalia Gracy Chen, diretora-geral da Bitget, em uma entrevista exclusiva para a EXAME. Responsável por comandar uma das principais bolsas de derivativos de criptomoedas do mundo, a executiva reconhece que a Binance ainda tem uma fatia de mercado significativa, mas que ela caiu em relação às máximas observadas no início de 2023.

Desde o acordo envolvendo o governo dos Estados Unidos, a fatia da Binance caiu de mais de 50% para a casa dos 40%, indicando que o ganho de espaço de concorrentes "já está acontecendo". "Nesse período, muitas exchanges, especialmente as maiores, com provas de reserva, boa experiência de usuário, como a Bitget, conseguiram aumentar a fatia de mercado", destaca.

  • Aproveite todas as possibilidades do mundo crypto. A Mynt ajuda você a explorar o melhor do mercado com segurança e diversidade de criptomoedas. Clique aqui para abrir sua conta.

ETF de bitcoin

Porém, a executiva acredita que o maior ponto positivo para o mercado de criptomoedas em 2023 foi o pedido da BlackRock para lançar nos Estados Unidos um fundo negociado em bolsa (ETF) de preço à vista do bitcoin. O possível lançamento desse produto, altamente aguardado pelo mercado, deve continuar sendo um dos pontos centrais do setor em 2024.

"Hoje os Estados Unidos já têm os ETFs de futuros, mas ao ter o à vista eles precisarão ter o ativo do bitcoin sob custódia para o ETF, então isso leva a uma entrada de investimento institucional. Ao mesmo tempo, o ETF facilita o investimento no bitcoin", explica Chen.

Na visão dela, as principais vantagens que o ETF deverá trazer envolvem uma "redução de custos de investimentos, aumento de liquidez e cumprimento de questões regulatórias mais rígidas, o que torna o investimento de institucionais mais conveniente".

"Em 2023, nós vimos um fluxo de entrada de investimentos para o mercado, o valor total", lembra a executiva. Para ela, a tendência é que esse movimento não acabe em 2023 e continue beneficiando o mercado de criptomoedas nos próximos meses.

Ela diz ainda que o caso da Binance "é positivo porque pode trazer uma necessidade de dar mais clareza para o mercado, eliminar as suas partes negativas, e isso aumenta a possibilidade de aprovação do ETF".

Chen pontua ainda que a América Latina se tornou uma das prioridades para a Bitget em 2023. "É um mercado diferente, e não estamos tão grandes nele quanto gostaríamos, mas estamos de olho. É uma região com corretoras de criptomoedas locais bem fortes. Queremos colaborar com elas, porque é um mercado bem diferente, mas grande", comenta.

Siga o Future of Money nas redes sociais: Instagram | Twitter | YouTube Telegram | Tik Tok

Créditos

Últimas Notícias

Ver mais
Bitcoin atinge maior preço da história em relação ao euro e à libra; entenda
Future of Money

Bitcoin atinge maior preço da história em relação ao euro e à libra; entenda

Há 4 horas

Bitcoin ultrapassa US$ 66 mil e bate novo recorde: máxima histórica pode vir antes do halving?
Future of Money

Bitcoin ultrapassa US$ 66 mil e bate novo recorde: máxima histórica pode vir antes do halving?

Há 6 horas

Binance vê "ano de transformação" após polêmicas em 2023 e quer virar página de acordo nos EUA
Future of Money

Binance vê "ano de transformação" após polêmicas em 2023 e quer virar página de acordo nos EUA

Há 7 horas

Menos de 50 dias para o halving do bitcoin: o que esperar?
Future of Money

Menos de 50 dias para o halving do bitcoin: o que esperar?

Há um dia

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais