Future of Money

Cachorro que inspirou criptomoeda meme Dogecoin está gravemente doente

Kabosu, da raça Shiba Inu, deu origem ao meme "doge", que anos depois inspiraria a criação de um dos criptoativos mais famosos do mundo

A Shiba Inu Kabosu é uma figura popular no mundo das criptomoedas (Reprodução/Reprodução)

A Shiba Inu Kabosu é uma figura popular no mundo das criptomoedas (Reprodução/Reprodução)

Cointelegraph Brasil

Cointelegraph Brasil

Publicado em 27 de dezembro de 2022 às 14h44.

Última atualização em 27 de dezembro de 2022 às 15h08.

Kabosu, a cadela Shiba Inu por trás do rosto da criptomoeda Dogecoin e o meme “doge”, está em uma “situação perigosa” em termos de saúde, de acordo com sua tutora.

Em uma postagem no Instagram feita na segunda-feira, 26, e que foi compartilhada no Twitter, Atsuko Satō, uma professora de jardim de infância japonesa e tutora de Kabosu, disse que a cadela resgatada estava em um estado “perigoso”, mas garantiu a seus seguidores que o animal vai ficar “absolutamente bem” e está “recebendo poder de todo o mundo” de apoiadores.

  • Sabia que você pode investir em bitcoin, ether, Polkadot e muitas outras moedas digitais direto no app da Mynt? Comece com R$ 100 e com a segurança de uma empresa BTG Pactual. Clique aqui para abrir sua conta gratuitamente.

A notícia trouxe uma onda de manifestações de apoio nas redes sociais. Uma usuária do Twitter desejando a melhora da pet ofereceu-se para cobrir totalmente “quaisquer despesas necessárias para garantir que ela receba o melhor tratamento”.

O cocriador do Dogecoin, Billy Markus, pediu a seus 2 milhões de seguidores em um tuíte feito no mesmo dia que enviassem “[amor] e [orações] e boas vibrações” para Satō e Kabosu.

Satō não revelou quais complicações de saúde Kabosu está enfrentando, mas em um post anterior disse que Kabosu está doente desde a véspera de Natal, recusando-se a comer ou beber. Os cães da raça Shiba Inu têm uma expectativa média de vida entre 12 e 15 anos, e Kabosu comemorou seu 17º aniversário no início de 2022.

Uma foto de Kabosu do blog de Satō em 2010 inspirou o formato de meme viral “doge”. Eventualmente, a popularidade do meme provocou a criação em 2013 por Billy Markus e Jackson Palmer do que é considerado a primeira “moeda meme”, Dogecoin, que a dupla disse ter criado como uma piada.

Kabosu é uma figura popular no mundo das criptomoedas, e o fundador da Ethereum, Vitalik Buterin, chegou a visitar Kabosu e Satō em seu apartamento em Tóquio em 2018.

Dogecoin continua popular

Apesar de ter sido criado como uma piada, o Dogecoin continua extremamente popular no mundo das criptomoedas quase dez anos depois de ter sido lançado oficialmente. Ele é a oitava maior moeda em capitalização de mercado, com quase US$ 10,4 bilhões, de acordo com dados da CoinGecko.

O Dogecoin foi a segunda criptomoeda mais pesquisada no Google, atrás do bitcoin, com média de 5,85 milhões de pesquisas mensais em todo o mundo em 2022.

A aquisição do Twitter por Elon Musk deixou muitos usuários do Dogecoin esperançosos de que ele integraria o criptoativo na plataforma de mídia social, fazendo com que o preço aumentasse com as notícias. O bilionário é um defensor de  longa data do Dogecoin e, a certa altura, antes de admitir que não seria viável, planejou cobrar dos usuários do Twitter 0,1 DOGE para postar na plataforma em uma tentativa de reduzir as postagens fraudulentas.

O Dogecoin deu origem a uma variedade de criptomoedas semelhantes com tema de cachorro, como Shiba Inu (SHIB), Dogelon Mars (ELON) e Floki (FLOKI), que foi inspirado no Shiba Inu de Musk, Floki.

Siga o Future of Money nas redes sociais: Instagram | Twitter | YouTube | Telegram | Tik Tok  

Acompanhe tudo sobre:CachorrosCriptoativosCriptomoedas

Mais de Future of Money

Cadela Kabosu, que inspirou maiores criptomoedas meme, morre no Japão

SEC aprova ETFs de ether nos EUA e surpreende com mudança de visão sobre Ethereum

ETFs de bitcoin batem recorde e acumulam 850 mil unidades da criptomoeda

Pepe dispara 40% e um dos primeiros investidores da criptomoeda meme lucra US$ 3 milhões

Mais na Exame