Future of Money

Brasil importa R$ 8,9 bilhões em criptomoedas em abril apesar do recuo do bitcoin, aponta BC

Relatório da autoridade monetária mostra salto de mais de 120% em relação ao acumulado do mesmo período de 2023

 (Madrolly/Getty Images)

(Madrolly/Getty Images)

Cointelegraph
Cointelegraph

Agência de notícias

Publicado em 28 de maio de 2024 às 10h13.

Última atualização em 28 de maio de 2024 às 10h25.

Tudo sobreBitcoin
Saiba mais

Os investidores de criptomoedas brasileiros importaram pouco mais de US$ 1,7 bilhão, cerca de R$ 8,9 bilhões, em criptomoedas em abril. Volume acumulado de US$ 6,42 bilhões no primeiro quadrimestre desse ano, aproximadamente R$ 33 bilhões, segundo dados divulgados na última sexta-feira, 24, pelo Banco Central do Brasil (BC).

De acordo com o relatório, embora o bitcoin tenha recuado pouco mais de 16% em abril, de US$ 69,7 mil para US$ 58,2 mil durante esse mês, o volume de importações de criptomoedas pelos investidores do país pode ser considerado alto, embora, em março, esse montante tenha sido de US$ 1,75 bilhão, cerca de US$ 14,8 bilhões no acumulado anual daquele mês.

Salto de 126%

No comparativo entre abril desse ano e o mesmo mês do ano passado, o salto foi de US$ 763 milhões para US$ 1,73 milhão, ou seja, um aumento de 126%. No acumulado entre os primeiros quadrimestres de 2023 e de 2024, a evolução foi de US$ 2,91 bilhões para US$ 6,42 bilhões, ou seja, um crescimento de 120%.

O balanço mostra que as exportações de criptomoedas por brasileiros é baixo frente as importações. Em abril, enquanto os investidores nacionais importavam US$ 1,73 bilhão, as exportações foram de US$ 120 milhões, ou seja, menos de 7% do volume importado.

No acumulado do primeiro quadrimestre, os brasileiros exportaram US$ 468 milhões, 7,2% do montante importado no mesmo período. Porém, o levantamento do BC aponta para uma evolução significativa das exportações brasileiras de criptomoedas em relação a 2023.

Isso porque o volume exportado em abril desse ano é 823% superior aos US$ 13 milhões exportados em abril do ano passado enquanto o acumulado exportado no primeiro quadrimestre de 2024 supera em 654% os US$ 62 milhões exportados no primeiro quadrimestre de 2023.

Os números parciais de 2024 já direcionam para um saldo negativo na balança comercial de criptomoedas, a exemplo do que acorreu em 2023, quando o país importou US$ 12,3 bilhões enquanto exportou US$ 613 milhões. Em outra frente, o Banco Central anunciou o adiamento do Drex para 2025.

O JEITO FÁCIL E SEGURO DE INVESTIR EM CRYPTO. Na Mynt você negocia em poucos cliques e com a segurança de uma empresa BTG Pactual. Compre as maiores cryptos do mundo em minutos direto pelo app. Clique aqui para abrir sua conta gratuita.

Siga o Future of Money nas redes sociais: Instagram | Twitter | YouTube Telegram | Tik Tok  

Leia mais

Acompanhe tudo sobre:CriptomoedasCriptoativosBitcoin

Mais de Future of Money

Adeus ICQ: o que a história nos ensina sobre inovação e impermanência

Segundas camadas do Bitcoin: explorando avanços e desafios na expansão da rede

O que fazer neste momento do mercado cripto?

Como um DJ famoso ganhou (e perdeu) milhões de dólares com NFTs

Mais na Exame