Future of Money

Brasil aporta R$ 50 milhões em fundos de criptomoedas na primeira semana de junho

Mês começa com US$ 2 bilhões em fluxo de entrada e acumulado global supera US$ 100 bilhões.

 (SOPA Images/Getty Images)

(SOPA Images/Getty Images)

Cointelegraph
Cointelegraph

Agência de notícias

Publicado em 10 de junho de 2024 às 11h34.

Tudo sobreCriptomoedas
Saiba mais

Os aportes de investidores brasileiros em produtos negociados em bolsa (ETPs na sigla em inglês) baseados em criptomoedas alcançaram entradas líquidas de US$ 9,5 milhões, cerca de US$ 50 milhões, no acumulado semanal da última sexta-feira, 7, período em que o fluxo positivo global superou US$ 2 bilhões e o total sob gestão (AuM) atingiu US$ 100,8 bilhões, segundo relatório da CoinShares.

  • O JEITO FÁCIL E SEGURO DE INVESTIR EM CRYPTO. Na Mynt você negocia em poucos cliques e com a segurança de uma empresa BTG Pactual. Compre as maiores cryptos do mundo em minutos direto pelo app. Clique aqui para abrir sua conta gratuita.

De acordo com os dados da gestora, os EUA responderam por US$ 1,98 bilhão em depósitos líquidos semanais, seguido por Hong Kong, Canadá e Suíça, com US$ 26,1 milhões, US$ 12,7 milhões e US$ 10,6 milhões em entradas líquidas, respectivamente. Atrás do Brasil, Alemanha e Austrália aportaram US$ 2,5 milhões e US$ 1,7 milhão, respectivamente, enquanto a Suécia registrou US$ 9,2 milhões em saídas líquidas.

Em termos de negociação, o volume da semana passada atingiu US$ 12,8 bilhões em transações, o que representou uma alta de 55% no comparativo com a semana anterior.

Brasil mantém 6º lugar

O Brasil manteve a sexta colocação em AuM ao atingir um volume de US$ 986 milhões. Nesse caso, os EUA respondem por US$ 78,93 bilhões da fatia mundial, seguidos por Suíça, Canadá, Alemanha e Suécia, que acumulam respectivos investimentos de US$ 5,33 bilhões, US$ 5,11 bilhões, US$ 4,53 bilhões e US$ 3,66 bilhões, enquanto outros países totalizaram US$ 1,76 bilhão.

Com exceção das cestas multiativos e do Short Bitcoin, que registraram respectivas saídas líquidas de US$ 5,5 milhões e US$ 5,3 milhões, todos os principais criptoativos monitorados apresentaram fluxo positivo. Nesse caso, o Bitcoin (BTC) respondeu por US$ 1,97 bilhão, Ethereum (ETH) alcançou US$ 68,9 milhões e o XRP totalizou US$ 1,2 milhão, enquanto Solana (SOL), Litecoin (LTC) e Chainlink (LINK) apresentaram depósitos líquidos US$ 700 mil cada um.

Por produtos/gestoras, a Grayscale minimizou as saídas a um volume semanal de US$ 29 milhões, seguida por US$ 11 milhões em saques líquidos da CoinShares. No lado positivo, as principais entradas líquidas foram o iShares ETFs da BlackRock, o Fidelity ETFs e ARK 21 Shares, com respectivas entradas líquidas de US$ 948 milhões, US$ 680 milhões e US$ 131 milhões.

O JEITO FÁCIL E SEGURO DE INVESTIR EM CRYPTO. Na Mynt você negocia em poucos cliques e com a segurança de uma empresa BTG Pactual. Compre as maiores cryptos do mundo em minutos direto pelo app. Clique aqui para abrir sua conta gratuita.

Siga o Future of Money nas redes sociais: Instagram | Twitter | YouTube Telegram | Tik Tok  

Leia mais

Acompanhe tudo sobre:BitcoinCriptomoedasCriptoativos

Mais de Future of Money

Em US$ 69 mil, bitcoin demosntra resiliência e aguarda por dados importantes de inflação nos EUA

Adeus ICQ: o que a história nos ensina sobre inovação e impermanência

Segundas camadas do Bitcoin: explorando avanços e desafios na expansão da rede

O que fazer neste momento do mercado cripto?

Mais na Exame