ESG

Apoio:

logo_suvinil_500x252
Logo TIM__313x500
logo_unipar_500x313
logo_espro_500x313
logo_engie_500X252

Parceiro institucional:

logo_pacto-global_100x50

Abu Dhabi cria polo global de US$ 35 bilhões para produção de alimentos e tratamento de água

Hub tem potencial para criar mais de 60 mil empregos na região

Abu Dhabi quer atrair a atenção de empresas inovadoras da região para investir no setor (Leandro Fonseca/Exame)

Abu Dhabi quer atrair a atenção de empresas inovadoras da região para investir no setor (Leandro Fonseca/Exame)

Publicado em 18 de junho de 2024 às 11h04.

Última atualização em 18 de junho de 2024 às 13h11.

O governo de Abu Dhabi anunciou no último final de semana a criação de um polo global para a produção de alimentos e tratamento de água. O Agrifood Growth and Water Abundance Clust (AGWA) nasce já com US$ 35 bilhões. A ideia do emirado árabe é atrair empresas do ramo que já desenvolvam carnes em laboratório ou proteínas alternativas.

Segundo o site Agfeed, o AGWA tem potencial para criar mais de 60 mil empregos na região e somar, até 2045, US$ 25 bilhões ao PIB local.

As primeiras empresas já começaram a aderir ao projeto. Uma delas é a israelense Believer Meats, especializada na produção de carne cultivada em laboratório a partir de células de frango. A startup se comprometeu a ter uma sede regional em Abu Dhabi com operações comerciais, industriais e de pesquisa.

Outra empresa comprometida com a AGWA é a suíça Nuos, especializada em proteínas alternativas. Ela vai instalar um centro de inovação e uma fábrica no emirado árabe.

“A AGWA está pronta para avançar em nossa estratégia de segurança alimentar 2051 e nossa estratégia de segurança hídrica dos Emirados Árabes para 2036”, falou Ahmed Al Zaabi, presidente do órgão.

Países da península arábica, com apenas 5% de seu território com terras cultiváveis, estão cada vez mais investindo em projetos como esse, chamando a atenção de empresas inovadoras da região.

Fundo pretende investir US$ 13,5 bilhões em biocombustíveis no Brasil

O Mubadala Capital, de Abu Dhabi, pretende investir US$ 13,5 bilhões em biocombustíveis no Brasil ao longo da próxima década. Dentro desse ambicioso projeto também está a previsão de criar uma nova bolsa de valores.

Segundo o Financial Times, esse braço de gestão de ativos do fundo soberano dos Emirados Árabes Unidos está aumentando sua participação no Brasil — os investimentos do Mubdala Capital vão desde linha de metrô a uma participação majoritária na dona do Burger King no país.

Acompanhe tudo sobre:abu-dhabiAlimentos

Mais de ESG

Indústria eólica dos EUA busca aprendizes sem medo para atender crescimento do setor

Como R$ 60 bilhões em investimentos em transmissão ajudam na transição energética do Brasil

Vivo amplia investimento em equidade racial com apoio a festival

Queimadas: alta de 54% antecipa período crítico, alerta pesquisa

Mais na Exame