Economia

Terminal de Campinas será entregue em 2014, diz Kuster

O presidente da concessionária afirmou "que será um fato inédito no mundo" a rapidez da construção da obra


	Aeroporto de Viracopos, em Campinas: o executivo se considerou ainda otimista em relação ao TAV, cujo ponto de partida até o Rio de Janeiro seria Viracopos
 (Alexandre Battibugli/EXAME.com)

Aeroporto de Viracopos, em Campinas: o executivo se considerou ainda otimista em relação ao TAV, cujo ponto de partida até o Rio de Janeiro seria Viracopos (Alexandre Battibugli/EXAME.com)

DR

Da Redação

Publicado em 25 de setembro de 2013 às 14h48.

São Paulo - O presidente da concessionária Aeroportos Brasil Viracopos, Luiz Alberto Kuster, informou, nesta quarta-feira, 25, que o novo terminal do aeroporto de Campinas, interior de São Paulo, será entregue em maio de 2014 "e que será um fato inédito no mundo" a rapidez da construção da obra.

"São 6 mil homens trabalhando dia e noite na obra, o projeto executivo e o básico acontecem ao mesmo tempo", disse. Kuster participa nesta quarta-feira do seminário "Gestão Pública e Burocracia - Desafios para o Estado Brasileiro", da série Fóruns Estadão Brasil Competitivo, organizado pela Agência Estado.

O executivo se considerou ainda otimista em relação ao Trem de Alta Velocidade (TAV), cujo ponto de partida até o Rio de Janeiro seria Viracopos.

"Havendo bons projetos não falta dinheiro para mobilidade, por isso é possível fazer o TAV. E já estamos desenhando uma estação do trem-bala em Viracopos", disse. "Mas é preciso criatividade e segurança jurídica do governo para viabilizar a obra", completou.

Acompanhe tudo sobre:AeroportosAeroportos do BrasilConcessionáriasSetor de transporteTransportestransportes-no-brasilViracopos

Mais de Economia

Governo Milei anuncia venda de dólares no câmbio paralelo argentino

Argentina volta a ter alta de inflação em junho; acumulado de 12 meses chega a 271,5%

Com alíquota de 26,5%, Brasil deve ter um dos maiores IVAs do mundo; veja ranking

Haddad declara ser favorável à autonomia financeira do Banco Central

Mais na Exame