Economia

Senado dos EUA se aproxima de acordo sobre regulação financeira

Acordo bipartidário irá prevenir resgate de Bancos com dinheiro público

EXAME.com (EXAME.com)

EXAME.com (EXAME.com)

DR

Da Redação

Publicado em 25 de abril de 2010 às 17h25.

Washington (Reuters) - Os senadores dos Estados Unidos que negociam a reforma regulatória financeira disseram neste domingo que estão próximos de um acordo bipartidário, mas admitiram que podem não chegar a um consenso antes da votação crucial de segunda-feira no Senado.

O senador Christopher Dodd, democrata presidente do comitê bancário do Senado, e Richard Shelby, republicano mais importante do comitê, disseram ao programa "Meet the Press", da rede de televisão NBC, que estão negociando neste fim de semana para tentar chegar a um acordo sobre uma lei que previna futuros resgates a empresas financeiras com dinheiro público.

"Nós estamos chegando lá, estamos perto, nós temos mais trabalho a fazer", disse Dodd. "Eu espero que possa ter os votos amanhã para iniciar o debate."

O líder da maioria democrata no Senado, Harry Reid, marcou um voto processual para iniciar a discussão da proposta de lei do partido no final da segunda-feira. Os republicanos disseram que devem votar contra a consideração da lei se um acordo bipartidário não for alcançado até lá.

Os democratas precisam que pelo menos um republicano deserte seus líderes para conseguirem os 60 votos necessários no Senado e começarem a debater a lei.

Porém, mesmo se o Partido Democrata não vencer a votação, a legislação não estaria descartada, apenas adiada. Membros de ambos os partidos parecem ansiosos para aprovar a lei antes das eleições parlamentares em novembro.

 

Acompanhe tudo sobre:Crises em empresasEstados Unidos (EUA)Países ricosreformasRegulamentação

Mais de Economia

Brasil exporta 31 mil toneladas de biscoitos no 1º semestre de 2024

Corte anunciado por Haddad é suficiente para cumprir meta fiscal? Economistas avaliam

Qual é a diferença entre bloqueio e contingenciamento de recursos do Orçamento? Entenda

Haddad anuncia corte de R$ 15 bilhões no Orçamento de 2024 para cumprir arcabouço e meta fiscal

Mais na Exame