Guedes: governo deve zerar taxa de importação de alimentos se preço subir

Ministro atribui alta a consumo motivado pelo auxílio emergencial

O ministro da Economia, Paulo Guedes, disse nesta quinta-feira que o governo deve reduzir imposto de importação de produtos cujos preços subirem muito, citando o arroz e o óleo de soja. O ministro atribuiu o aumento dos preços ao pagamento do auxílio emergencial durante a pandemia de covid-19.

"Já estamos estudando quais as tarifas de importação que vão descer. Começou a subir demais o preço do arroz? Zero tarifa de arroz. Vai começar a subir soja, óleo de soja? Zero tarifa de importação. Desde que nós liberamos, reduzimos a tarifa de importação do arroz, ele travou. Está alto, mas travou. Começa a entrar o ano novo, vem a safra do arroz de volta, e ele vai começar a ceder de novo. E tudo bem", disse Guedes, durante audiência no Congresso Nacional.

Para o ministro, os preços subiram como “outro lado da moeda” do aumento da capacidade de consumo da população, causado pelo auxílio emergencial.

"É o outro lado da moeda. De um lado, essas classes desprotegidas estão recebendo. A massa salarial subiu nesses segmentos mais baixos, e o consumo subiu, e os preços subiram."

Guedes disse que os preços também são “sinais de informação” para o campo, que vai aumentar a produção. Para ele, isso vai acalmar os preços. O ministro avaliou que a mesma coisa aconteceu com a construção civil.

A família que recebia 200 reais do Bolsa Família aumentou os rendimentos e agora começou a comprar material de construção e “está terminando a casa, construindo o muro, terminando o telhado que faltava na casa”, de acordo com o ministro.

"Eles não só estão comendo melhor como eles também estão melhorando a casa deles, comprando material de construção. Então, começou um boom de compra de material de construção. Houve um boom do setor, e os preços subiram. Agora, esses preços justamente vão trazer mais produção de todos esses insumos, tudo isso vai começar a entrar e do que não entrar nós vamos derrubar a tarifa de importação.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.