Exportação de suco do Brasil cai 19% em janeiro

Em janeiro de 2011, as vendas externas da commodity somaram 217,8 mil toneladas, de acordo com os dados da Secex

São Paulo - As exportações brasileiras de suco de laranja caíram 19 por cento em janeiro na comparação com o mesmo mês do ano anterior, para 176,5 mil toneladas, apontou a Secretaria de Comércio Exterior (Secex) nesta quarta-feira.

Em janeiro de 2011, as vendas externas da commodity somaram 217,8 mil toneladas, de acordo com os dados da Secex. Também houve queda em relação a dezembro, quando o volume embarcado pela indústria brasileira foi de 155,1 mil toneladas.

Há certa apreensão no mercado de suco de laranja sobre a situação dos embarques para os Estados Unidos, depois que alguns carregamentos do produto brasileiro foram retidos pelos norte-americanos devido a traços do fungicida carbendazim, que não é mais utilizado nos EUA.

O órgão regulador para alimentos norte-americano (FDA) já barrou três carregamentos do Brasil. A indústria brasileira aguarda os resultados dos carregamentos ainda em análise e o parecer do FDA sobre o tema.

"Temos convicção de que é uma questão técnica, sem impacto na balança do ano. É possível que haja ajustes em algum momento mas sem perspectiva de impacto nas exportações para os EUA", afirmou Tatiana Prazeres, secretária de Comércio Exterior do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), a jornalistas em entrevista para comentar a balança comercial.

Sobre a queda em comparação a janeiro de 2011, ela afirmou que o movimento reflete, principalmente, a retração nas vendas para a União Europeia e não para os EUA.

Na terça-feira, Tatiana reuniu-se com o presidente da Citrus BR, entidade que reúne a indústria. Segundo ela, o MDIC, o Ministério das Relações Exteriores e o da Agricultura vão atuar de maneira coordenada para tratar desse tema.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.